Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Candidata a deputada, Roseana Sarney declara R$ 15,7 milhões em bens

Montante foi informado pela ex-governadora e filha do ex-presidente José Sarney à Justiça Eleitoral ao registrar candidatura

Por João Pedroso de Campos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 8 ago 2022, 16h34 - Publicado em 2 ago 2022, 11h27

A ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney (MDB) concorrerá em outubro a uma vaga na Câmara dos Deputados. A candidatura da filha do ex-presidente e ex-senador José Sarney (MDB) foi registrada junto à Justiça Eleitoral na última sexta-feira, 29, confirmando a estratégia do MDB maranhense de usar Roseana como uma “puxadora de votos” para tentar aumentar a bancada emedebista do estado na Câmara.

Ao pedir o registro, Roseana informou à Justiça um patrimônio de 15,7 milhões de reais. Ela é dona de 6,6 milhões de reais em aplicações de renda fixa, 3,6 milhões de reais distribuídos em três casas (1,7 milhão de reais, 1 milhão de reais e 828.905 reais), 3 milhões de reais em “quotas ou quinhões de capital” e 1,4 milhão de reais declarado como “sala ou conjunto”, entre outros bens de menor monta.

O patrimônio declarado pela emedebista à Justiça Eleitoral neste ano representa um avanço de 38% em relação aos 11,4 milhões de reais informados por ela quando disputou o governo, sem sucesso, em 2018, e um aumento de 101% frente aos 7,8 milhões de reais em bens em 2010, ano em que se elegeu governadora do Maranhão. Em relação ao patrimônio declarado em sua derrotada candidatura ao governo estadual em 2006, de singelos 143.238 reais, o salto para 2022 foi de impressionantes 10.904%.

Em busca de uma cadeira na Câmara a partir de 2023, Roseana Sarney já ensaiou voos políticos bem mais altos enquanto a mais promissora herdeira política do clã Sarney. Em 2002, ela ombreava com o então futuro presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas pesquisas, até ter a pretensão presidencial abatida por uma operação da Polícia Federal que encontrou um senhor patrimônio oculto na Lunus, empresa dela e de seu marido, Jorge Murad: nada menos que 1,3 milhão de reais em dinheiro vivo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.