Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro escorrega feio no discurso e comete um “haraquiri” político

Presidente expressou preconceitos e demonstrou falta de conhecimento sobre a região do eleitorado que mais o rejeita

Por Da Redação Atualizado em 6 fev 2022, 08h11 - Publicado em 4 fev 2022, 11h14

Em um intervalo de poucos segundos, em sua live semanal de quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro (PL) conseguiu a façanha de cometer ontem, dia 3, um ato de ignorância e outro de puro preconceito contra nordestinos. Primeiro, errou o estado do cearense Padre Cícero. Depois, ofendeu a origem de seus auxiliares chamando-os de “pau de arara”.

Bolsonaro comentava das revogações de decreto de luto em seu governo. “Falaram que eu revoguei o luto de Padre Cícero, lá de Pernambuco”. O presidente rapidamente tentou emendar: “É isso mesmo? De que cidade fica lá? Está cheio de pau de arara aqui e não sabem que cidade fica padre Cícero?”. O sacerdote é de Juazeiro do Norte (CE), cidade que é destino de milhares de devotos todos os anos.

A expressão “pau de arara” é ofensiva aos nordestinos. Ela faz referência aos caminhões usados na migração de pessoas pobres da região para outras partes do país, sobretudo o sudeste, em viagens de vários dias, sem nenhum conforto ou segurança.

Não é a primeira vez que o presidente se refere de forma pejorativa aos moradores da região. Do ponto de vista eleitoral, a postura é absolutamente desastrosa, um autêntico “haraquiri” político.  É no Nordeste que ele tem os piores índices de aprovação na atualidade e foi derrotado nas eleições de 2018. Segundo o último levantamento do Paraná Pesquisas, Bolsonaro tem 22% das intenções de voto nos estados nordestinos, contra 52,7% do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A pesquisa mostra que também que o Nordeste é a região que mais desaprova o governo Bolsonaro: 66,4%.

Relembre outras frases preconceituosas de Bolsonaro em relação ao Nordeste

“Daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara” 

-em conversa com o então chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em julho de 2019

“Acho que foi primeiro estado que tivemos grande recepção em aeroporto. Tudo começou por aí, se não me engano, um dos grandes articuladores disso acho que foi Alex Ceará, um cara cabeçudo. Se bem que chamar cearense de cabeçudo você não consegue identificar ninguém, lá todo mundo é cabeçudo”

-em uma live, em janeiro de 2020

“O gauchão do Ceará aqui. Por que todo cearense tem cabeça grande?”

-ao tirar foto com um apoiador no Guarujá, em fevereiro de 2020
Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)