Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bivar alerta número 1 dos EUA no Brasil sobre ataque de Bolsonaro às urnas

Reunião acontece em um momento em que autoridades americanas têm defendido o processo eleitoral brasileiro

Por Da Redação Atualizado em 10 Maio 2022, 16h55 - Publicado em 10 Maio 2022, 16h13

O presidente do União Brasil e pré-candidato à Presidência, deputado Luciano Bivar (PE), recebeu na manhã desta terça-feira, 10, na Câmara dos Deputados, o encarregado de Negócios da Embaixada dos EUA no Brasil, Douglas Konnef, a quem manifestou preocupação com os ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao processo eleitoral. Konnef é o atual número 1 da embaixada americana no país, que aguarda a chegada da embaixadora Elizabeth Bagley, escolhida pelo presidente Joe Biden para o cargo. Segundo relatos, o americano demonstrou apreensão com o cenário descrito por Bivar.

A audiência, que teria sido solicitada por Konnef, ocorre em um momento em que várias autoridades dos EUA têm defendido o processo eleitoral brasileiro, conduzido pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Na semana passada, a agência de notícias Reuters revelou que o diretor da Central de Inteligência Americana (CIA), William Burns, se encontrou com ministros de Bolsonaro em julho do ano passado e advertiu que o governo não deveria desacreditar as eleições.

Em artigo publicado no jornal O Globo no último dia 30, Scott Hamilton, ex-cônsul-geral dos EUA no Rio de Janeiro, também escreveu sobre o tema. “Como cônsul-geral no Rio entre 2018 e 2021, testemunhei as formas como Bolsonaro e seus apoiadores tentaram sabotar a integridade do processo democrático brasileiro e suas, em geral, espetaculares instituições democráticas independentes — imprensa, ONGs, TSE, STF e o próprio sistema de votação. A intenção é clara e perigosa: minar a fé do público e preparar o palco para o esforço de recusar-se a aceitar seu resultado”, afirmou, em um texto intitulado “Defendendo a democracia”.

Ex-aliado de Bolsonaro, Bivar, segundo sua assessoria, disse a Konnef que o Brasil de hoje não é o mesmo de 1964, ano do golpe militar. “Temos instituições sólidas e as defenderemos com todo o empenho necessário”, afirmou o deputado. Bolsonaro se elegeu presidente em 2018 pelo PSL, partido que era comandado por Bivar. Os dois romperam durante o governo e o PSL se fundiu ao DEM, formando o União Brasil.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)