Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Às vésperas da posse de Lula, narrativa golpista perde força no Tik Tok

Levantamento mostra quedas de mais de 70% nos compartilhamentos de conteúdos que pedem a intervenção militar dentro do aplicativo

Por Diogo Magri 22 dez 2022, 15h55

Depois de usar o TikTok para espalhar desinformação e conteúdos antidemocráticos antes, durante e depois do processo eleitoral que terminou com a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva, as narrativas golpistas de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro enfim perdem força na rede social.

O levantamento realizado pela pesquisadora Luiza de Mello Stefano, do Laboratório de Pesquisa em Comunicação, Culturas Políticas e Economia da Colaboração da Universidade Federal Fluminense (CoLAB/UFF), entre os dias 12 e 19 de dezembro mostrou que, nesses dias, o perfil de Bolsonaro na plataforma fez seis publicações, que variaram entre 165,5 mil e 379,9 mil visualizações. Os números representam um amplo declínio em comparação com períodos anteriores. Na última semana de novembro, por exemplo, os posts de Bolsonaro alcançaram mais de 8 milhões de views.

A queda é ainda mais acentuada dentro da narrativa golpista. Apesar de apoiadores do atual presidente terem espalhado, nas semanas após a derrota nas urnas, vídeos que contestam o resultado das eleições e pedem um golpe militar, esse tipo de conteúdo agora tem menos espaço no TikTok.

Todas as métricas da mesma pesquisa diagnosticaram uma diminuição de mais de 70% na quantidade de compartilhamento de conteúdos que pedem a intervenção militar, em comparação com a semana anterior.

Continua após a publicidade

O sumiço do presidente e a proximidade da posse de Lula, que já foi diplomado e já nomeou seus primeiros ministros, parece trazer o efeito de conformidade aos eleitores mais extremistas. A tag #intervencaomilitarja, por exemplo, teve uma redução de mais de 1.000% em seu número de curtidas em comparação com relatórios anteriores.

Vale lembrar também que o aplicativo firmou parcerias com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e com agências de checagem para combater a desinformação na plataforma, além de ter aumentado sua vigilância contra conteúdos falsos e ataques à democracia ao longo do período eleitoral.

Mesmo assim, a narrativa de extrema-direita não sumiu do TikTok. Entre os dias 12 e 19 de dezembro, posts com a tag #intervencaomilitarcombolsonaronopoder somou, em 59 publicações, 28 milhões de visualizações e 2,2 milhões de curtidas dentro da plataforma.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.