Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse e Diogo Magri. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Após pressão, Twitter cria ferramenta para denunciar fake news

Brasil foi incluído em programa teste de ferramenta que indica publicações que podem levar a fraudes eleitorais ou colocar saúde pública em risco

Por Bruno Ribeiro 17 jan 2022, 11h42

Depois de uma série de pressões vindas de usuários e às vésperas do início de ano eleitoral, o Twitter informou nesta segunda-feira, 17, que abriu, no Brasil, os testes para a ferramenta que permite a usuários denunciarem postagens que geram desinformações na rede social. A medida serve tanto para fake news relacionadas à Covid-19, como falsas alegações de riscos trazidos pela vacinação, como também relativa às eleições.

A ferramenta estava em testes nos Estados Unidos, na Austrália e na Coreia do Sul desde agosto do ano passado e nesta segunda, começa a funcionar também no Brasil, nas Filipinas e na Espanha. De acordo com texto divulgado pela rede social, “o fato de 2022 ser ano de eleições no Brasil e nas Filipinas, assim como de meio de mandato nos Estados Unidos, contribuirá para a avaliação de como esta ferramenta de denúncias seria usada em períodos de grandes eventos cívicos”, como as eleições.

No comunicado, a rede informa que “essas denúncias representam uma útil, porém complexa, fonte de informação sobre potenciais violações às nossas regras” mas que “menos de 10% da amostra de Tweets analisada pelas nossas equipes correspondia a violações às políticas” do site, que condenam, por exemplo, informações falsas que podem alterar o resultado da eleição (informações enganosas sobre exigências para participação, por exemplo), mas permitem informações tendenciosas ou polarizadas. 

Nas últimas semanas, usuários e entidades civis vinham protestando contra o Twitter no próprio site, cobrando uma atitude mais ativa contra a desinformação que poderia ser espalhada especialmente por usuários contrários à vacinação infantil.

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês