Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Após fiasco na capital, PT está longe da vitória na 2ª maior cidade de SP

Segundo o Paraná Pesquisas, o petista Elói Pietá está quase vinte pontos atrás de Guti (PSD) em Guarulhos, que foi governada pelo partido por dezesseis anos

Por Da Redação 23 nov 2020, 16h58

Guarulhos é a segunda maior cidade paulista, com 1,3 milhão de habitantes, e vem sendo tratada como prioritária para o PT no estado depois que o partido sofreu uma derrota vexaminosa com Jilmar Tatto em São Paulo. Mas o município da Grande São Paulo, por enquanto, não projeta um bom desfecho para os petistas nas urnas.

Segundo levantamento feito pelo instituto Paraná Pesquisas entre os dias 19 e 22 de novembro e divulgada nesta segunda-feira, 23, o ex-prefeito Elói Pietá (PT) está quase 20 pontos atrás do adversário, o atual prefeito Gustavo Henrique Costa (PSD), conhecido como Guti: o petista tem 40,4% dos votos válidos contra 59,6% do rival.

Considerando os votos totais, Pietá tem 33% contra 48,6% de Guti. Outros 11,8% dos entrevistados disseram que anularão o voto, votarão em branco ou em nenhum, enquanto 6,6% afirmaram que não sabem ou não responderam.

Outro problema para o petista é a sua rejeição: 47% afirmaram que não votariam em Pietá de jeito nenhum, enquanto 35,3% disseram o mesmo em relação a Guti. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa ouviu 800 eleitores e foi registrada na Justiça Eleitoral sob o nº SP-06745/2020.

O PT já comandou a cidade por dezesseis anos, entre 2001 e 2016, com dois mandatos do próprio Pietá e outros dois de Sebastião Almeida. Pietá é uma das duas apostas que restaram ao petismo na tentativa de retomar o controle de cidades da Grande São Paulo, que no início dos anos 2000 chegou a ser chamada de “Cinturão Vermelho” em alusão ao grande número de petistas no comando dessas prefeituras.

O partido adotou a estratégia de apostar em nomes de ex-prefeitos para obter sucesso nas urnas, mas, além de Pietá, só José de Filippi, em Diadema, continua na disputa. Entre os ex-prefeitos petistas que naufragaram na missão estão Emídio de Souza (Osasco), Luiz Marinho (São Bernardo do Campo) e Sérgio Ribeiro Silva (Carapicuíba), que não passaram do primeiro turno.

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)