Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse e Diogo Magri. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Anvisa tem nova reunião para avaliar uso da CoronaVac em crianças

Há um ano, o imunizante produzido pelo Instituto Butantan se tornava o primeiro a ser usado contra a Covid-19 no país, ao ser aplicado em São Paulo

Por Da Redação 17 jan 2022, 14h32

Um ano após a CoronaVac ter se tornado a primeira vacina utilizada no Brasil contra a Covid-19 – ao ser aplicada na enfermeira Mônica Calazans no Hospital das Clínicas, em São Paulo –, o imunizante produzido pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac será tema de uma nova reunião nesta segunda-feira, 17, às 17h, na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para avaliar o seu uso em crianças de 5 a 11 anos de idade.

A vacinação infantil começou nesta segunda-feira em dez estados, mas apenas com um imunizante da Pfizer, o único autorizado até agora no país e no mundo para essa faixa etária. Em entrevista à CNN Brasil, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que, se a CoronaVac for aprovada, ela passará a ser utilizada. “A Anvisa faz parte de um rol de agências que tem patamar de exigência de mais segurança nas suas análises”, afirmou.

No último dia 10, a Anvisa recebeu resposta às solicitações enviadas ao Butantan relacionadas ao um estudo conduzido pelo Ministério da Saúde chileno que buscou avaliar dados de efetividade do uso da CoronaVac em crianças. Na terça-feira, a agência avaliou os dados enviados e pediu informações adicionais. Na quinta-feira, 13, houve uma reunião entre a agência e o Butantan. Novo encontro foi marcado para hoje.

Da reunião de quinta-feira participaram, além de especialistas da Anvisa e do Chile, técnicos do laboratório Sinovac China e representantes da Sociedade Brasileira de Infectologia, do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, da Sociedade Brasileira de Imunologia e da Associação Brasileira de Saúde Coletiva.

A avaliação está entrando na última etapa e próxima da decisão final. O relatório da área técnica será votado em reunião extraordinária da Diretoria Colegiada da Anvisa, mas ainda não há datas.

Doria

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), vem pedindo a liberação da vacina pela Anvisa e diz que o estado já tem um plano para usá-la. “A CoronaVac já se mostrou eficaz, produtiva e adequada em vários países, inclusive aqui na América do Sul, para a vacinação de crianças”, afirmou.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês