Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Amante da ditadura, Carla Zambelli acha que o STF enterrou a democracia

Parlamentar critica condenação de Daniel Silveira (PTB-RJ e esquece que apoia presidentes que cassou mandatos de parlamentares e garantias constitucionais

Por Da Redação Atualizado em 21 abr 2022, 12h45 - Publicado em 21 abr 2022, 12h44

A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP), uma das estrelas do bolsonarismo radical, sempre teve uma postura elogiosa à ditadura militar (1964-85). Quando tomou posse, em 2019, ela ocupou o gabinete que era de Jair Bolsonaro (PL) e pediu a ele para ficar com os quadros que o presidente tinha na parede, com os presidentes do período autoritário.

Ela também virou alvo dos inquéritos no Supremo Tribunal Federal que apuram a incitação a atos antidemocráticos, que pregam contra instituições como o próprio STF.

Mas agora que o STF condenou o seu aliado, o deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), a oito anos e nove meses de prisão por posturas semelhantes, ela passou a achar que a democracia acabou no país. “Mais uma prova de que a democracia brasileira, que já estava morta, agora está enterrada. Estamos em luto!”, postou.

Além disso, ela anunciou que apresentou um projeto de lei na Câmara para anistiar o colega parlamentar e permitir que ele possa se candidatar na eleição deste ano. “Não concordamos com os abusos que o STF vem cometendo contra a democracia”, escreveu.

Entre os quadros que ela ostenta na parede do seu gabinete está o do presidente Artur da Costa e Silva, o presidente que assinou o AI-5, o ato institucional que permitiu a cassação de mandatos de parlamentares e suspendeu todas as garantias constitucionais.

Zambelli, pelo visto, não achava que a democracia brasileira foi enterrada à época dos militares. Também parece que, enfim, passou a se importar com a cassação de mandatos de parlamentares.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)