Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Amado Batista se desculpa com Lulinha por disseminar fake news contra ele

Cantor se retratou com o filho do ex-presidente Lula por ter dito em entrevista que ele era latifundiário e enriqueceu ilicitamente

Por Redação Atualizado em 24 jun 2022, 12h53 - Publicado em 22 jun 2022, 10h04

O cantor bolsonarista Amado Batista se desculpou com o filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Fábio Luís, o Lulinha, por ter declarado em uma entrevista que o primogênito do petista era um “latifundiário e dono de cabeças de gado no Mato Grosso e no Pará” que enriqueceu ilicitamente. Na mesma ocasião, o cantor afirmou que o ex-presidente e sua família haviam “roubado pra caramba”. Batista era acusado por Lulinha do crime de injúria.

Na ação, os advogados do filho do ex-presidente ressaltaram que ele sempre esteve longe da política e construiu sua carreira como empresário. “Fábio Luis, também conhecido como Lulinha, sempre se manteve alheio aos holofotes da política, construindo carreira como empresário no segmento de games, mesmo que, vez ou outra, se visse diante dos desafios que a exposição política de seu pai lhe trazia. (…) É exatamente nesse contexto, de ausência completa de civilidade, que o querelante se viu instado a procurar o Poder Judiciário. (…) Nunca tendo ocupado qualquer cargo público na administração federal, foi alvo de diversas “fake news” que associavam seu nome à propriedade das mais diversas empresas, em especial, àquelas ligadas ao agronegócio”, diz trecho da ação apresentada pelos advogados Fábio Tofic Simantob, Marco Aurélio de Carvalho e Mariana Tranchesi Ortiz.

Em uma audiência no 3°Juizado Especial Criminal de Recife, na quarta-feira passada, 15, Amado Batista se retratou pelo que reconheceu terem sido “ofensas e expressões injustamente proferidas” contra Lulinha. Ele admitiu que suas falas foram baseadas em “meros boatos irresponsavelmente difundidos na sociedade”.

“Peço desculpas a Fábio Luís Lula da Silva pela forma injusta com que lhe atribuí graves ofensas, bem tomo admito que foram equivocadas minhas afirmações de que teria enriquecido de forma ilícita. Apesar de ter dito que Fábio Luís Lula da Silva seria latifundiário e dono de cabeças de gado no Mato Grosso e no Pará, reconheço que essa informação chegou ao meu conhecimento a partir de meros boatos irresponsavelmente difundidos na sociedade”, disse o cantor.

Após o pedido de desculpas, Amado Batista e Lulinha se comprometeram a enviar o termo de retratação e conciliação para divulgação no canal “Blog do Magno”, no YouTube, que veiculou a entrevista do cantor em maio de 2021. Diante da retratação, o filho de Lula abriu mão da ação e o Ministério Público se manifestou pela extinção da punibilidade de Batista, por fim decretada pelo juiz Edmilson Cruz Júnior.

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)