Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Ainda sem sucessor para Dino, governo tenta vender ‘avanços’ na segurança

Em meio à percepção negativa sobre políticas de combate à violência, gestão investe em campanhas descontraídas na internet

Por Bruno Caniato 3 jan 2024, 13h17

Em meio à incerteza sobre o nome que sucederá Flávio Dino no Ministério da Justiça, o Planalto tem investido em campanhas publicitárias que celebram as medidas de segurança pública adotadas pelo governo federal em 2023. Nesta quarta-feira, 3, a Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República deu início a uma campanha que exalta os principais resultados das ações de combate à violência e criminalidade no país. O tema é um dos que mais preocupam o terceiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Editado em formato “react” (estilo de vídeo no qual um influenciador comenta notícias e eventos), o material traz um jovem listando, em tom descontraído, uma série de programas e investimentos do governo no enfrentamento ao tráfico de drogas, crime organizado, violência nas escolas, mortes violentas, feminicídio e crimes ambientais.

O discurso bem-humorado contrasta com imagens de operações policiais e militares, incêndios florestais, câmeras de vigilância e até agentes praticando tiros. Entre as medidas exaltadas estão as intervenções das Forças Armadas nos portos e aeroportos do Rio de Janeiro e São Paulo, o lançamento do Programa de Ação na Segurança (PAS), as políticas de proteção no ambiente escolar e o movimento Brasil Sem Misoginia. “Eu sei bem que segurança pública é algo que o Brasil precisa avançar, mas é muito bom ver que as coisas estão começando a funcionar”, encerra o ator.

Avaliação negativa

Desde o início da atual gestão, o governo enfrenta o desafio da grave crise de segurança no país, incluindo quadros críticos no Rio de Janeiro, Bahia e Rio Grande do Norte, o domínio das facções criminosas nas prisões brasileiras e os alarmantes números sobre tráfico de drogas e de armas.

A recente ofensiva publicitária da Secom, tanto no vídeo publicado nesta quarta-feira quanto na campanha “O Brasil é Um Só Povo”, lançada em dezembro, busca reverter a avaliação negativa do Executivo no combate à violência. Pesquisas recentes apontam que criminalidade, violência e tráfico de drogas são percebidas como os maiores problemas atuais no país e que a aprovação do governo federal caiu no final do ano, enquanto a rejeição à gestão Lula vem crescendo, como mostra reportagem recente de VEJA.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.