Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A debochada reação de Bolsonaro às críticas nos desfiles de Carnaval

Algumas escolas atacaram o presidente de forma explícita, que recebeu também apupos na ala dos camarotes

Por Da Redação Atualizado em 25 abr 2022, 15h33 - Publicado em 25 abr 2022, 12h52

Tanto na Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, quanto no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, os desfiles das escolas de samba no Carnaval fora de época, durante o último fim de semana, foram marcados por críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PL) vindas da avenida e das arquibancadas.

A Rosas de Ouro, que desfilou na capital paulista na manhã do domingo (24), foi direta ao trazer Bolsonaro se tornando um jacaré ao receber a vacina contra a Covid-19 no último carro do desfile, em referência à fala negacionista do presidente no início da campanha de vacinação.

Bolsonaro publicou o vídeo nas suas redes sociais e reagiu com ironia. “Que apresentação ruim kkkkkkkkkkkkkkkk”, escreveu. Na sequência, lembrou que todas as doses do imunizante aplicadas no Brasil foram compradas pelo governo federal.

Também em São Paulo, a Gaviões da Fiel relembrou o presidente, de forma menos explícita, ao fazer um desfile sobre o combate ao racismo e ao fascismo. Em certo momento, a escola trouxe um casal com terno e faixa presidencial no meio da ala de militares, representando o “presidente fascista”.

Já no Rio de Janeiro, os ataques vieram da Unidos da Tijuca, que usou um dos seus carros para criticar o Projeto de Lei 191, do governo federal, que tramita no Congresso para liberar a mineração em terras indígenas. No desfile, indígenas levaram placas com palavras contra a proposta, que fizeram parte do samba-enredo que transformou a Sapucaí numa floresta encantada.

Críticas também foram ouvidas das arquibancadas, como mostraram vídeos e relatos de presentes em ambas as cidades. O coro de “Fora Bolsonaro”, além de xingamentos, protagonizou também os momentos em que as escolas de samba falaram mal do governo.

O representante mais importante da cúpula bolsonarista que esteve presente na Sapucaí foi o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ). O filho Zero Um marcou presença numa área reservada do camarote Arpoador. Em frente ao local, no camarote Favela, uma bandeira que pedia “Fora Bolsonaro” foi estendida assim que o senador foi notado. A reação do Zero Um foi de risadas debochadas, como registrou o repórter Caio Sartori durante a cobertura de VEJA na avenida.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)