Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

A debochada reação de Bolsonaro às críticas nos desfiles de Carnaval

Algumas escolas atacaram o presidente de forma explícita, que recebeu também apupos na ala dos camarotes

Por Da Redação
Atualizado em 25 abr 2022, 15h33 - Publicado em 25 abr 2022, 12h52

Tanto na Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, quanto no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, os desfiles das escolas de samba no Carnaval fora de época, durante o último fim de semana, foram marcados por críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PL) vindas da avenida e das arquibancadas.

A Rosas de Ouro, que desfilou na capital paulista na manhã do domingo (24), foi direta ao trazer Bolsonaro se tornando um jacaré ao receber a vacina contra a Covid-19 no último carro do desfile, em referência à fala negacionista do presidente no início da campanha de vacinação.

Bolsonaro publicou o vídeo nas suas redes sociais e reagiu com ironia. “Que apresentação ruim kkkkkkkkkkkkkkkk”, escreveu. Na sequência, lembrou que todas as doses do imunizante aplicadas no Brasil foram compradas pelo governo federal.

Também em São Paulo, a Gaviões da Fiel relembrou o presidente, de forma menos explícita, ao fazer um desfile sobre o combate ao racismo e ao fascismo. Em certo momento, a escola trouxe um casal com terno e faixa presidencial no meio da ala de militares, representando o “presidente fascista”.

Continua após a publicidade

Já no Rio de Janeiro, os ataques vieram da Unidos da Tijuca, que usou um dos seus carros para criticar o Projeto de Lei 191, do governo federal, que tramita no Congresso para liberar a mineração em terras indígenas. No desfile, indígenas levaram placas com palavras contra a proposta, que fizeram parte do samba-enredo que transformou a Sapucaí numa floresta encantada.

Críticas também foram ouvidas das arquibancadas, como mostraram vídeos e relatos de presentes em ambas as cidades. O coro de “Fora Bolsonaro”, além de xingamentos, protagonizou também os momentos em que as escolas de samba falaram mal do governo.

O representante mais importante da cúpula bolsonarista que esteve presente na Sapucaí foi o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ). O filho Zero Um marcou presença numa área reservada do camarote Arpoador. Em frente ao local, no camarote Favela, uma bandeira que pedia “Fora Bolsonaro” foi estendida assim que o senador foi notado. A reação do Zero Um foi de risadas debochadas, como registrou o repórter Caio Sartori durante a cobertura de VEJA na avenida.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.