Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

8 de janeiro: quem serão os seis primeiros julgados pelo STF

Réus são acusados de crimes graves, que podem render até 30 anos de prisão

Por Bruno Caniato Atualizado em 13 Maio 2024, 22h30 - Publicado em 28 ago 2023, 18h17

Na manhã desta segunda-feira, 28, foram liberadas para julgamento pelo Supremo Tribunal Federal as primeiras seis ações contra envolvidos nos distúrbios de inspiração golpista do dia 8 de janeiro, em Brasília, quando uma multidão de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro invadiu e depredou o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e o próprio STF.

Os réus nesses processos — relatados pelo ministro Alexandre de Moraes e revisados por Nunes Marques — estão entre os 250 acusados por crimes mais graves, que incluem golpe de Estado, abolição violenta do Estado Democrático de Direito e associação criminosa armada, e podem pegar penas de até 30 anos de prisão.

Veja, a seguir, quem são os seis primeiros réus:

Aécio Lúcio Costa Pereira, ex-funcionário da Sabesp de 51 anos, viajou de Diadema (SP) a Brasília para participar dos atos e foi preso em flagrante nas dependências do Congresso Nacional pela Polícia do Senado. Vestindo uma camiseta com os dizeres “Intervenção Militar Federal”, Pereira participou da depredação do prédio do Senado e gravou um vídeo sentado à Mesa Diretora bradando “Estamos aqui, p*! Não desistam!”

Jupira Silvana da Cruz Rodrigues, servidora pública aposentada de 57 anos, moradora de Betim (MG), presa em flagrante pela Polícia Militar do Distrito Federal no interior do Palácio do Planalto — em 2004, era filiada ao PT e foi suplente de um candidato a vereador no município mineiro. Segundo a PGR, Jupira e outros manifestantes “quebraram vidros, depredaram cadeiras, painéis, mesas, obras de arte e móveis históricos, inclusive um relógio trazido ao Brasil por D. João VI em 1808, rasgaram uma tela de autoria de Di Cavalcanti, destruíram carpetes e outros bens.”

Continua após a publicidade

Davis Baek, profissional autônomo de 42 anos, morador da capital paulista, foi preso em flagrante na Praça dos Três Poderes. De acordo com a denúncia, Baek foi detido na posse de dois rojões não disparados, munições de gás lacrimogêneo, balas de borracha, uma faca e dois canivetes.

Reginaldo Carlos Begiato Garcia, profissional de logística de 56 anos e morador de Jaguariúna (SP), foi preso em flagrante nas dependências do Congresso Nacional pela Polícia do Senado. De acordo com a denúncia, Garcia participou de um grupo que invadiu o Legislativo para “quebrar vidraças, espelhos, portas de vidro, móveis, lixeiras, computadores, totens informativos, obras de arte, pórticos, câmeras de circuito fechado de TV, carpetes, equipamentos de segurança e um veículo Jeep Compass, acessando e depredando espaços da Chapelaria, do Salão Negro, das Cúpulas, do museu, móveis históricos e a queimar o tapete do salão verde da Câmara dos Deputados, empregando substância inflamável.”

Nilma Lacerda Alves, servidora municipal de 47 anos de Barreiras (BA), presa em flagrante pela Polícia Militar do Distrito Federal no Palácio do Planalto. Segundo a PGR, Nilma estava no mesmo grupo de Jupira que depredou obras de arte e estruturas no Planalto.

João Lucas Vale Giffoni, psicólogo de 26 anos e morador de Brasília, foi preso em flagrante pela Polícia do Senado nas dependências do Congresso, no mesmo grupo de que participava Reginaldo Carlos Begiato Garcia.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.