Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Letra de Médico Por Cilene Pereira Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil

O teste que aumenta as chances de gravidez

Nos tratamentos de fertilização in vitro, a análise cromossômica dos embriões identifica os mais viáveis

Por Rodrigo Rosa Atualizado em 4 jul 2022, 17h22 - Publicado em 4 jul 2022, 16h27

O teste genético pré-implantação para aneuploidia (PGT-A) é o termo geral para testar o mapa cromossômico de embriões. O objetivo é identificar, na análise cromossômica dos embriões, se eles têm o número certo (23 pares) de cromossomos (euploides), portanto com maiores chances de nascimento, ou se contam com o número errado de cromossomos (aneuploides). Há ainda aqueles embriões chamados “mosaicos”, que apresentam algumas células normais e outras anormais.

Normalmente, esses erros genéticos ocorrem durante a formação do óvulo e do espermatozoide. Então, em vez de 24 cromossomos em um óvulo, pode ocorrer um erro e ele ter 22 cromossomos. Assim, quando ele é combinado com um espermatozoide com os 23 cromossomos normais, forma-se um embrião com 47 (24+23) cromossomos, o que o caracteriza como aneuploide.

Esses erros podem ocorrer com maior frequência com o envelhecimento e estar relacionados à qualidade do óvulo, principalmente. Portanto, para mulheres que têm abortos recorrentes (2 ou mais) ou para mulheres com mais de 35 anos que necessitam de FIV, a triagem de embriões com teste PGT-A pode ajudar.

Quando um casal passa por um tratamento de fertilização in vitro, o objetivo é ter um bebê saudável. Aí que reside a importância da análise cromossômica, indicada para aumentar as taxas de nascidos vivos e diminuir as de aborto por meio da seleção de embriões competentes.

O teste também evita que as mulheres tenham que fazer diversas transferências de embrião, o que é mais custoso economicamente e psicologicamente. Nos casos de mulheres com mais de 35 anos ou com abortos recorrentes, o custo do teste PGT-A é mais vantajoso do que ter que repetir as transferências até obter transferir o blastocisto euploide (aquele com maior chance de nascimento).

No Brasil, a biópsia embrionária para o teste é feita em quase 50% dos casos de fertilização in vitro.

Dr. Rodrigo Rosa
./Divulgação
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)