Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Letra de Médico Por Cilene Pereira Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil

Como rastrear alguns tipos de câncer

É preciso ficar atento aos biomarcadores oncológicos. Em geral, eles são compostos por proteínas ou outras substâncias produzidas por células cancerígenas

Por Marcelo Bendhack 13 jun 2022, 15h57

Uma forma de rastrear alguns tipos de câncer é ficar atento aos biomarcadores oncológicos. Em geral, eles são compostos por proteínas ou outras substâncias (genes ou outras moléculas) produzidas por células cancerígenas e que, por serem identificáveis, muitas vezes em maior quantidade ou simplesmente presentes, apontam para forte suspeita sobre a presença de um tumor maligno. Há várias características destes marcadores, principalmente em relação à sensibilidade (número de exames positivos entre os pacientes com doença) e especificidade (quantidade de exames negativos entre pessoas sadias).

O ideal de excelência de um biomarcador é apresentar estes dois fatores o mais próximo dos 100%. Assim, doentes deveriam ter o marcador identificável sempre. E sadios não deveriam ter marcador detectável nunca.

Os biomarcadores podem ser também importantes quanto à resposta a um determinado tratamento e, assim, auxiliar na indicação de terapias que têm mais probabilidades de atingir as células cancerígenas. Esses marcadores podem ser encontrados no sangue, na urina, no próprio tumor ou em outros tecidos ou fluidos corporais de alguns pacientes com câncer e, em muitos casos, prever a agressividade do tumor. Técnicas sofisticadas auxiliam o diagnóstico para câncer e os biomarcadores tumorais estão associados a um tipo de câncer ou a vários tipos. Apesar disso, ainda não existe um marcador tumoral “universal” para todas as neoplasias.

No caso do Câncer de Próstata, um desses marcadores é o já conhecido PSA (Antígeno Específico da Próstata, do inglês Prostate Specific Antigen), glicoproteína produzida quase exclusivamente pelas células epiteliais da próstata. Quando o PSA está aumentado, pode ser fruto de uma condição benigna da próstata ou de um câncer de próstata. Como alguns homens com nível elevado de PSA não têm necessariamente câncer de próstata, o PSA deve sempre ser interpretado com cuidado e é bastante útil para monitorar a recidiva da doença.

 Empobrecimento dos genes

Uma novidade nessa área foi publicada recentemente por um grupo de médicos e cientistas no periódico Scientific Report (base de artigos científicos da revista Nature). A pesquisa¹ ² sobre um biomarcador conhecido como LINE-1 mostrou um empobrecimento dos genes durante o processo de envelhecimento. O estudo revelou ainda que o desenvolvimento das células desses genes tem sido associado à diversas síndromes de hipo e hipercrescimento, alterações neurológicas e tumorais.

Essa alteração do DNA pode levar as células cancerosas a uma transformação maligna. Como elas possuem a mesma informação genética, o que garante a diferenciação entre elas e possibilita a formação de vários tecidos é o fato de determinados genes estarem ligados ou desligados. Essa “regulagem” celular pode provocar uma alteração genética, como uma mutação, uma alteração definitiva. No entanto, podem ocorrer também alterações reversíveis e, por isso, muito interessantes para possíveis terapias.

Por tudo isso, entender como funcionam e como agem os biomarcadores tumorais é fundamental para o estudo do diagnóstico e para a prevenção contra o desenvolvimento do câncer.

Letra de Médico - Marcelo Bendhack
./Divulgação
Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)