Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
José Casado Por José Casado Informação e análise

Riqueza no campo tem aumento recorde, mas candidatos não percebem

Não há debate sobre o futuro do país, mas o próximo governo assistirá à ascensão do Brasil à liderança mundial no comércio agrícola

Por José Casado Atualizado em 3 Maio 2022, 04h14 - Publicado em 3 Maio 2022, 08h00

Nunca se ganhou tanto dinheiro no campo. Neste século, o faturamento na agricultura e na pecuária já cresceu 190,2%.

Impressiona a velocidade da multiplicação da riqueza no interior do país nos últimos 21 anos, como indicam os dados mais recentes coletados pela Embrapa, empresa estatal de pesquisas rurais.

Nas lavouras, o valor da produção aumentou 193,7% acima da inflação do período. Na pecuária subiu 183,1%.

.
./VEJA

Os ganhos continuam crescendo em ritmo acelerado: aumentaram 29,2% no ano passado, quando comparados a 2019.

A expansão foi de 37,8% na agricultura e de 13,6% na pecuária. E o impulso segue firme neste ano, de acordo com as projeções.

O vigor no caixa dos produtores é consequência de um ciclo virtuoso, no qual coincidiram a ampliação da produção e da produtividade, com a incorporação de tecnologias; um ciclo de aumento de preços e, ainda, a valorização do dólar em relação ao real.

Continua após a publicidade

Essa transformação econômica do interior tem reflexos relevantes no mapa político brasileiro, mas partidos e candidatos ainda não se preocuparam com a dimensão das mudanças em curso.

Em geral, se limitam à visão urbana dos corretores do agronegócio, remancham em críticas rasas sobre a expansão na Amazônia, e contornam a lógica arcaica da eficiente “bancada do boi” no Congresso, a Frente Parlamentar da Agropecuária.

Num país onde a indústria virou terra arrasada, com peso similar ao que possuía na economia dos anos 40 do século passado (11% do PIB), o próximo governo terá de lidar com a ascensão do Brasil à liderança no comércio mundial de produtos agrícolas. É um bom problema.

Essa posição deverá ser assumida já em 2024, segundo ano do mandato do presidente que será eleito agora em outubro. É o que preveem entidades como a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

É óbvio que a política ambiental será fator um crítico na próxima administração. Não há como driblar as razões climáticas. No Cone Sul, por exemplo, já se enfrenta a maior seca dos últimos 90 anos. E na Amazônia, a tática do “liberou geral” para mineração e desmatamento tende a fomentar confrontos crescentes com os maiores clientes das empresas de agronegócio — as agruras da JBS nos Estados Unidos, atualmente, são exemplares.

É paradoxal, mas a cinco meses das eleições partidos políticos e candidatos presidenciais ainda não se preocuparam em apresentar propostas consistentes para o futuro urbano ou rural.

Não há debate sobre como reorganizar a falida base industrial urbana, em torno da qual se aglutina a maior fatia do eleitorado.

Nem mesmo sobre o que fazer no campo, onde a riqueza se multiplica de forma cada vez mais concentrada e em velocidade proporcional apenas à expansão dos conflitos agrários e à pobreza no entorno das cidades do interior.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)