Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
José Casado Por José Casado Informação e análise

Otan: “As forças nucleares são a garantia suprema da segurança”

Frases

Por José Casado Atualizado em 30 jun 2022, 12h55 - Publicado em 30 jun 2022, 12h57

Líderes dos 30 países que integram a aliança militar do Atlântico Norte, divulgaram ontem o manifesto de refundação da Otan.

Nele, a Rússia é descrita como a principal ameaça à segurança e a China como um desafio à hegemonia militar, econômica e tecnológica ocidental. Eis os principais trechos do documento, uma espécie de tratado para a guerra no Século XXI :

“A guerra de agressão da Federação Russa contra a Ucrânia destruiu a paz e alterou seriamente nosso ambiente de segurança. Sua invasão brutal e ilegal, repetidas violações do direito internacional humanitário e ataques hediondos e atrocidades causaram sofrimento e destruição incalculáveis.

Uma Ucrânia forte e independente é vital para a estabilidade da zona euro-atlântica. O comportamento de Moscou reflete um padrão de ações russas agressivas contra seus vizinhos e a comunidade transatlântica mais ampla (…)

O propósito fundamental da capacidade nuclear da Otan é preservar a paz, prevenir a coerção e dissuadir a agressão. Enquanto existirem armas nucleares, a Otan continuará a ser uma aliança nuclear. O objetivo da Otan é um mundo mais seguro para todos; procuramos criar o ambiente seguro para um mundo sem armas nucleares (…)

A Federação Russa é a ameaça mais significativa e direta à segurança dos Aliados

A Federação Russa é a ameaça mais significativa e direta à segurança dos Aliados e à paz e estabilidade na zona euro-atlântica.

Busca estabelecer esferas de influência e controle direto por meio de coerção, subversão, agressão e anexação.

Utiliza meios convencionais, cibernéticos e híbridos contra nós e nossos parceiros. é uma postura militar coercitiva, retórica e uma vontade comprovada de usar a força para promover seus objetivos políticos. eles minam a ordem internacional baseada em regras.

A Federação Russa está modernizando suas forças nucleares e expandindo seus novos e disruptivos sistemas de entrega de dupla capacidade, enquanto emprega sinalização nuclear coercitiva.

A Otan não busca o confronto e não representa uma ameaça para a Federação Russa. Continuaremos a responder às ameaças e ações hostis russas de maneira unida e responsável.

Aumentaremos a nossa resiliência contra a coerção, políticas e ações hostis russas

Fortaleceremos significativamente a dissuasão e a defesa de todos os Aliados, aumentaremos nossa resiliência contra a coerção russa e apoiaremos nossos parceiros no combate à interferência e agressão.

À luz de suas políticas e ações hostis, não podemos considerar a Federação Russa como nossa parceira. No entanto, continuamos dispostos a manter os canais de comunicação abertos com Moscou para gerenciar e mitigar riscos, evitar escaladas e aumentar a transparência.

Buscamos estabilidade e previsibilidade na área euro-atlântica e entre a OTAN e a Federação Russa. Qualquer mudança em nosso relacionamento depende da Federação Russa interromper seu comportamento agressivo e cumprir integralmente o direito internacional (…)

China se esforça para subverter a ordem, inclusive nos domínios espacial, cibernético e marítimo

As ambições declaradas e as políticas coercitivas da República Popular da China desafiam nossos interesses, segurança e valores.

A República Popular da China emprega uma ampla gama de ferramentas políticas, econômicas e militares para aumentar sua presença global e projeto de poder, mantendo-se sem transparência sobre sua estratégia militar, intenções e desenvolvimento.

As operações híbridas e cibernéticas maliciosas da República Popular da China e sua retórica de confronto e desinformação visam os Aliados e prejudicam a segurança da Aliança.

A República Popular da China procura controlar os principais setores tecnológicos e industriais, infraestrutura crítica e materiais estratégicos e cadeias de suprimentos.

Ela usa sua influência econômica para criar dependências estratégicas e aumentar sua influência. Ele se esforça para subverter a ordem internacional baseada em regras, inclusive nos domínios espacial, cibernético e marítimo.

O aprofundamento da parceria estratégica entre a República Popular da China e a Federação Russa e suas tentativas de reforço mútuo de minar a ordem internacional baseada em regras vão contra nossos valores e interesses.

Continua após a publicidade

Continuamos abertos a um compromisso construtivo com a República Popular da China, inclusive para construir transparência recíproca, com vistas a salvaguardar os interesses de segurança da Aliança.

Trabalharemos para enfrentar os desafios sistêmicos colocados pela China à segurança euro-atlântica

Trabalharemos juntos com responsabilidade, como Aliados, para enfrentar os desafios sistêmicos colocados pela República Popular da China à segurança euro-atlântica e garantir a capacidade duradoura da Otan de garantir defesa e segurança dos Aliados.

Avançaremos nossa consciência compartilhada, aumentaremos nossa resiliência e prontidão e nos protegeremos contra táticas coercitivas e tentativas de dividir a Aliança. Defenderemos nossos valores compartilhados e uma ordem internacional baseada em regras, incluindo a liberdade de navegação (…)

Ninguém deve duvidar da nossa força e determinação para defender cada centímetro do território aliado

Embora a Otan seja uma Aliança defensiva, ninguém deve duvidar da nossa força e determinação para defender cada centímetro do território aliado, preservar a soberania e integridade territorial de todos os aliados e prevalecer contra qualquer agressor. Em um ambiente de estratégia competitiva, aumentaremos nossa consciência global e alcançaremos dissuadir, defender, desafiar e negar em todos os domínios e direções, de acordo com nossa abordagem de 360 graus.

A postura de defesa e dissuasão da Otan baseia-se numa combinação adequada de capacidades de defesa nuclear, convencional e antimísseis, complementadas por recursos espaciais e capacidades cibernéticas. É defensivo, proporcional e totalmente alinhado com a nossa política de compromissos internacionais. Empregaremos ferramentas militares e não militares de maneira proporcional, consistente e integrada para responder a todas as ameaças à nossa segurança da maneira, no tempo e no domínio que escolhermos. (…)

Reforçaremos significativamente nossa postura de dissuasão e defesa

Reforçaremos significativamente nossa postura de dissuasão e defesa para negar a qualquer adversário potencial qualquer oportunidade potencial de agressão. Para esse fim, garantiremos uma presença substancial e persistente em terra, mar e ar, inclusive por meio de defesa aérea e antimísseis integrada aprimorada.

Vamos dissuadir e defender a frente com forças robustas, multidomínio, prontas para combate, no local, disposições aprimoradas de comando e controle, munições e equipamentos pré-arranjados e capacidade e infraestrutura aprimoradas para reforçar rapidamente qualquer Aliado, mesmo em curto ou sem aviso prévio. Ajustaremos o equilíbrio entre as forças no terreno e o reforço para fortalecer as capacidades de dissuasão e defesa da Aliança. proporcional às ameaças que enfrentamos, garantiremos que nossa postura de dissuasão e defesa permaneça confiável, flexível, personalizada e sustentável (…)

Vamos melhorar nossas defesas cibernéticas, redes e infraestrutura para manter nossa vantagem militar

A segurança marítima é fundamental para nossa paz e prosperidade. Vamos fortalecer nossa posição e consciência situacional para dissuadir e se defender contra todas as ameaças no mar defender a liberdade de navegação, proteger as rotas de comércio marítimo e proteger nossas principais vias de comunicação.

Vamos acelerar nossa transformação digital, adaptar a Estrutura de Comando da OTAN para a era da informação e melhorar nossas defesas cibernéticas, redes e infraestrutura. Promoveremos a inovação e aumentaremos nossos investimentos em empresas emergentes e disruptivas tecnologias para manter nossa interoperabilidade e vantagem militar. Trabalharemos juntos para adotar e integrar novas tecnologias, cooperar com o setor privado, proteger nossos ecossistemas de inovação, moldar padrões e comprometer-se com princípios de uso responsável que refletem nossos valores democráticos e direitos humanos (…)

As operações híbridas contra os Aliados podem atingir o nível de ataque armado

Manter o uso seguro e o acesso irrestrito ao espaço e ao ciberespaço é fundamental para a dissuasão e a defesa eficazes. Aumentaremos nossa capacidade de operar efetivamente no espaço e no ciberespaço para prevenir, detectar, combater e responder a todo o espectro de ameaças, usando todas as ferramentas disponíveis.

Um conjunto único ou cumulativo de ciberataques e atividades maliciosas; ou operações hostis para, de ou dentro do espaço; poderia atingir o nível de ataque armado e levar o Conselho do Atlântico Norte a invocar o artigo 5º do Tratado do Tratado do Atlântico [o princípio da defesa coletiva, que só foi invocado uma vez depois dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001nos Estados Unidos] (…)

Investiremos em nossa capacidade de preparar, deter e defender contra o uso coercitivo de táticas políticas, econômicas, energéticas, de informação e outras táticas híbridas por Estados e organizações não estatais. Intervenientes. As operações híbridas contra os Aliados podem atingir o nível de ataque armado e podem levar o Conselho do Atlântico Norte a invocar o artigo 5.º do Tratado do Acordo do Atlântico Norte. Continuaremos a apoiar nossos parceiros para enfrentar os desafios híbridos e buscar maximizar as sinergias com outros players relevantes, como a União Europeia (…)

As forças nucleares estratégicas, em particular as dos EUA, são a garantia suprema da segurança

As forças nucleares estratégicas da Aliança, em particular as dos Estados Unidos, são a garantia suprema da segurança da Aliança. A Estratégia Independente As forças nucleares do Reino Unido e da França têm um papel dissuasor próprio e contribuem significativamente para a segurança geral da Aliança.

Esses aliados separam os centros de tomada de decisão que contribuem para a dissuasão ao complicar os cálculos de potenciais adversários. A postura de dissuasão nuclear da OTAN também se baseia nos Estados Unidos (…)

A expansão da OTAN foi um sucesso histórico. Fortaleceu nossa Aliança, assegurou a segurança de milhões de cidadãos europeus e contribuiu para a paz e estabilidade na zona euro-atlântica. Reafirmamos a nossa política de Portas Abertas (…)

As decisões sobre a adesão são tomadas pelos aliados da OTAN e nenhum terceiro tem uma palavra a dizer neste processo (…) A segurança dos países que aspiram a se tornar membros da Aliança está entrelaçada com a nossa. Apoiamos fortemente a sua independência, soberania e território. integridade.

(…) Aumentaremos o alcance de países em nossa vizinhança mais ampla e em todo o mundo e permaneceremos abertos ao envolvimento com qualquer país ou organização, quando isso aumentar nossa segurança mútua. Nossa abordagem permanecerá orientada por interesses, flexível e focada no tratamento de ameaças compartilhadas e desafios, e capaz de se adaptar às realidades geopolíticas em mudança.”

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)