Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
José Casado Por José Casado Informação e análise

Bolsonaro reduz diferença para Lula, com apoio de mulheres e nordestinos

Em quatro semanas, segundo a Quaest, Bolsonaro cresceu entre as mulheres, os nordestinos e reduziu a distância para Lula no Sudeste

Por José Casado Atualizado em 7 jul 2022, 09h36 - Publicado em 7 jul 2022, 06h00

Há sinais de mudanças no rumo da disputa presidencial. O duelo eleitoral entre Lula e Bolsonaro se consolida com tendência à rápida redução da distância entre eles, indica o instituto Quaest em pesquisa divulgada ontem, baseada em duas mil entrevistas entrevistas presenciais em todo o país.

Lula lidera com sete pontos percentuais de vantagem quando os eleitores são convidados a indicar um candidato preferencial. Alcança 31% das intenções de voto, estável em relação à posição de junho — a margem de erro é de dois pontos.

Bolsonaro fica com 24% das menções espontâneas. Surpreende com um avanço de quatro pontos em um mês. É a sua melhor marca no histórico da pesquisa.

.
./VEJA

Notável, também, é que a 11 semanas do primeiro turno, quatro de cada dez eleitores ainda se declaram indecisos. Donos de quase 60 milhões de votos, podem decidir a eleição.

No voto estimulado, quando o eleitor recebe uma listagem de nomes para escolha, a diferença entre os dois candidatos mais destacados é de 14 pontos, com uma queda (dois pontos) dentro da margem de erro. E somente 6% se declaram indecisos.

.
./VEJA

Os principais movimentos detectados nessa pesquisa estão relacionados à evolução da preferência por Bolsonaro. Ele avança. Conseguiu reduzir (em sete pontos) a taxa de rejeição eleitoral durante o primeiro semestre. Ela continua recorde (59%) para um candidato, mas está abaixo do patamar de janeiro (66%).

Continua após a publicidade

.
./VEJA

Isso se deve, basicamente, às mudanças observadas no eleitorado feminino. Bolsonaro tomou uma fatia do voto de eleitoras que no mês passado diziam preferir Lula. A diferença entre eles caiu significativamente (de 28 para 19 pontos) nas últimas quatro semanas.

Os reflexos são perceptíveis nos mapas regionais. Lula continua líder isolado no Nordeste, com 59% de preferência para os 39,2 milhões de votos disponíveis.

Perdeu o equivalente a pouco mais de dois milhões no mês passado, quando liderava com 68%. E Bolsonaro cresceu sete pontos percentuais (de 15% para 22%) no eleitorado nordestino.

.
./VEJA

O embate mais acirrado está ocorrendo mesmo é no Sudeste, onde se concentra quase metade dos eleitores, donos de 63 milhões de votos. Caiu pela metade a distância entre eles.

Em junho, Lula tinha vantagem de dez pontos em relação a Bolsonaro. Na semana passada essa distância era de cinco pontos.

Os resultados da Quaest serviram de alento a Bolsonaro que, ontem, discutiu com aliados uma ampliação do seu pacote de emergência econômica e eleitoral.

Parte dele já passou incólume no Senado, com apoio da oposição, e está em discussão na Câmara, onde se prevê aprovação, de novo, com o auxílio dos adversários.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)