Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
José Casado Por José Casado Informação e análise

A Lava Jato avança… no Peru

Califórnia manda extraditar ex-presidente do Peru Alejandro Toledo, acusado de corrupção em contratos da Odebrecht. Pode ser condenado a 20 anos de prisão

Por José Casado Atualizado em 29 set 2021, 13h19 - Publicado em 29 set 2021, 08h30

“A evidência criminal é suficiente”, escreveu o juiz Thomas S. Hixon, da Califórnia. Na sentença de ontem, ele declarou extraditável o ex-presidente peruano Alejandro Toledo..

Aos 75 anos, Toledo voltará ao Peru para enfrentar acusações de corrupção e lavagem de dinheiro recebido da Odebrecht, que podem resultar em até 20 anos e seis meses de prisão.

Ele presidiu o país entre 2001 e 2006. Recebeu US$ 20 milhões (R$ 106 milhões) para facilitar contratos de empreiteiras brasileiras, principalmente da Odebrecht, na construção da rodovia Interoceânica, que liga o Brasil ao Peru, e na exploração de jazidas de gás. Lavou o dinheiro na compra de imóveis em Israel, usando uma empresa da Costa Rica. É o que diz a documentação apresentada nos tribunais de Lima e da Califórnia pela versão peruana da Lava Jato.

“O caso [de Toledo] não é hermético”, escreveu o juiz americano Hixon. “Há contradições entre as duas principais testemunhas contra ele e inconsistências nas suas declarações com o passar do tempo (…) No entanto, esses problemas não anulam a causa provável de que Toledo cometeu fraude e lavagem de dinheiro.”

Ele fugiu do Peru quatro anos atrás, quando foi decretada sua prisão. Foi para Califórnia onde atuava como professor-visitante de Economia na Universidade de Stanford. Passou uma temporada de oito meses preso à espera do julgamento da extradição. Perdeu.

Toledo é o quarto ex-presidente peruano enlaçado pela Lava Jato local em negócios obscuros com a Odebrecht. Pedro Pablo Kuczynski (2016-2018) renunciou. Ollanta Humala (2011-2016) foi preso. E Alan García (1985-1990 e 2006-2011) se matou, em casa, depois de receber o mandado de prisão. A líder da oposição, Keiko Fujimori, chegou a presa, saiu se candidatou à presidência nas eleições deste ano, mas foi derrotada.

A Lava Jato avança… no Peru.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês