Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Exclusivo: Jornal Nacional copiou release de ONG pró-desarmamento sem checar informações. Cadê retratação?

Falei aqui da reportagem mentirosa do Jornal Nacional de segunda-feira sobre a proposta de mudança do estatuto do desarmamento. Comentei também que o JN atribuiu a “especialistas” uma opinião contrária ao projeto, tendo entrevistado um único “especialista”: Ivan Marques, do Instituto Sou da Paz. Agora, recebi de uma fonte em Brasília a prova de que o programa simplesmente copiou […]

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 31 jul 2020, 01h36 - Publicado em 15 abr 2015, 18h12

Captura de Tela 2015-04-14 às 21.10.15Falei aqui da reportagem mentirosa do Jornal Nacional de segunda-feira sobre a proposta de mudança do estatuto do desarmamento.

Comentei também que o JN atribuiu a “especialistas” uma opinião contrária ao projeto, tendo entrevistado um único “especialista”: Ivan Marques, do Instituto Sou da Paz.

Agora, recebi de uma fonte em Brasília a prova de que o programa simplesmente copiou o release dessa ONG pró-desarmamento sem checar as informações nele contidas a respeito do PL3722/2012.

Sim: o JN foi pautado pelo Instituto Sou da Paz, o mesmo que fora proibido pelo Tribunal Superior Eleitoral de fazer campanha para o referendo das armas em 2005 por receber verbas de organização estrangeira: no caso, US$ 68 mil dólares da Fundação Ford, aquela entidade bilionária que financia causas de “minorias”, hoje articuladas justamente nas tais organizações não-governamentais.

Só entre 2005 e 2006, a fundação gastou mais de US$ 25 milhões no Brasil com programas voltados para a sexualidade e saúde reprodutiva, direitos humanos, desenvolvimento, governança e demais itens da agenda esquerdista supostamente em favor dos “oprimidos”.

O Sou da Paz ainda continuou recebendo grana da Ford nos anos seguintes, como mostra o site da Fundação:

Captura de Tela 2015-04-15 às 16.41.09

O material que recebi havia sido enviado pelo Sou da Paz à imprensa e acabou praticamente reproduzido (“Ctrl C, Ctrl V”) pelo Jornal Nacional.

Ei-lo abaixo, seguido novamente das refutações do deputado Peninha, autor do PL3722/2012, relativas a pelo menos dois itens.

“Principais mudanças previstas pelo projeto

1 – Redução de idade

O texto reduz de 25 anos para 21 anos a idade mínima para comprar armas, libera a compra de armas para quem já esteve preso e também para pessoas investigadas por crimes violentos, o que hoje é proibido.

2 – Andar armados nas ruas

As pessoas poderiam voltar a andar armadas nas ruas. Hoje, o Estatuto do Desarmamento autoriza apenas policiais e outros profissionais da segurança e da Justiça a circularem armados.

3 – Compra de arma

Aumenta de 6 para 9 a quantidade de armas que uma pessoa pode ter

Continua após a publicidade

4 – Compra de munição

Aumenta de 50 para 600 o número de munições.

5 – Antecedentes criminais

Libera a compra de armas para quem já esteve preso ou é investigado por crimes violentos.

6 – Registro de arma passa a ser definitivo

O projeto torna o registro da arma definitivo. O estatuto exige renovação a cada 3 anos.

7 – Redução da perda do porte

A proposta acaba com a perda automática do porte para quem for pego armado sob efeito de álcool ou drogas

8 – Publicidade

Libera a publicidade de armas e munição, que hoje é proibida no país.”

Desarmamento mentiras JN

Lamentavelmente, o Jornal Nacional não se retratou na terça-feira.

O tragicômico é que a esquerda acusa a Rede Globo de servir aos interesses do capital internacional e blá-blá-blá.

Não deixa de ter razão neste caso. O JN, como vimos, anda servindo aos interesses do capital internacional esquerdista.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)