Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Felipe Moura Brasil Por Blog Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

Aos defensores de grevistas da PM

Vejam o recado de Felipe Moura Brasil

Por Felipe Moura Brasil Atualizado em 30 jul 2020, 21h02 - Publicado em 9 fev 2017, 12h13

Um monte de defensores dos grevistas da PM do Espírito Santo veio me atacar no Facebook por causa (mais do título do que do conteúdo) do programa Sem Edição que gravei na quarta-feira (8) com Silvio Navarro e Augusto Nunes: “Chantagistas reduzem ES a terra sem lei“.

Eis o meu recado:

Eu apontei no texto anterior (“As causas culturais do caos no Espírito Santo“) como os governos do estado, assim como os federais, tradicionalmente não dão prioridade à segurança pública. Mas esta irresponsabilidade dos governos, entre outras que também listei neste blog, não ameniza de modo algum a decisão irresponsável e ilegal de policiais militares de sair em greve.

Agradeço muito, porém, a todos que vêm comprovar o que eu disse no programa: que policiais militares que deixam a população refém de bandidos porque querem aumento salarial colocam a sua insatisfação profissional acima da preocupação com a vida dos cidadãos. Em vez de pedirem demissão ou exoneração, e aguardarem TRABALHANDO a aceitação delas ou o prazo do contrato, como é o correto em qualquer área de atuação pública ou privada em caso de insatisfação com o salário recebido, eles colocam vidas em risco com a recusa em prestar à sociedade o serviço de PM.

A dificuldade de parte de seus apoiadores em aceitar tamanha obviedade provém de fatores culturais. Infelizmente, no Brasil, prevalece a cultura de que o Estado deve tudo a todo mundo – não a de que cada indivíduo é responsável pelas suas escolhas. Ao escolher trabalhar para o Estado, como para qualquer outro empregador, ele sabe – ou deveria saber – que seu salário poderá ficar muito aquém das expectativas em algum momento (seja de crise econômica ou política) e que só lhe restará os meios legais de negociar, o que pode não render o salário desejado, sendo portanto melhor ter um plano B para a carreira caso não consiga aumento e permaneça insatisfeito, ainda que com razão.

Continua após a publicidade

Não se regateia com a vida alheia por aversão ao risco de recomeçar a própria.

*****

Pós-escrito 1:
Há direitistas que, comportando-se como esquerdistas, sobrepõem a defesa de um grupo (como a “PM”) à análise da realidade dos fatos específicos. Com efeito, legitimam ilegalidades de determinados policiais militares em nome do grupo com o qual simpatizam, se estas forem realizadas por uma causa considerada justa. Como dizia Nelson Rodrigues: “No Brasil, o marxismo adquiriu uma forma difusa, volatizada, atmosférica. É-se marxista sem estudar, sem pensar, sem ler, sem escrever, apenas respirando.”

Pós-escrito 2:
Não se contraponha à esquerda com ideologia contrária que sobrepõe defesa de grupos à da lei e da moral. Abra-se radicalmente à realidade. Leia Eric Voegelin.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês