Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Em Cartaz Por Raquel Carneiro Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca

‘Lightyear’ lidera no Brasil, mas decepciona na estreia nos Estados Unidos

Nova aposta da Pixar nos cinemas desbancou por muito pouco 'Top Gun: Maverick' e 'Jurassic World: Domínio' nas salas nacionais

Por Marcelo Canquerino 20 jun 2022, 16h36

Após liderar o topo da bilheteria nacional, Top Gun: Maverick foi desbancado (por muito pouco) pelo filme Lightyear, nova aposta da Pixar nos cinemas. O longa, que conta a história do patrulheiro espacial Buzz — inspiração para o boneco do menino Andy na famosa franquia Toy Story — arrecadou 12 milhões de reais entre os dias 16 e 19 de junho, e levou às salas de cinema 560.420 pessoas, segundo dados da Comscore. Apesar de ter se tornado o filme mais visto durante o final de semana de estreia, Lightyear não apresentou números surpreendentes e ficou colado com a produção de Tom Cruise, que fez 11,5 milhões e agora ocupa o segundo lugar, e Jurassic World: Domínio, que fez 11,45 milhões e está na terceira posição.

Na América do Norte, a Pixar também não viu o filme ir ao infinito e além como era esperado. Apesar de não ter sido uma estreia catastrófica, Lightyear arrecadou 51 milhões de dólares (aproximadamente 263,87 milhões de reais, na cotação atual) — passando longe do esperado pelo estúdio, que previa um lucro de 200 milhões de dólares em seu primeiro final de semana. Em tempos de pandemia, o filme estrelado por Buzz se tornou uma das melhores estreias no nicho de filmes animados, mas também amargou um dos piores lançamentos da Pixar, ficando atrás de Carros 3, que em 2017 fez 53 milhões de dólares, e na frente de O Bom Dinossauro, de 2015, e de Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica, de 2020, ambos com 39 milhões de dólares.

De acordo com Shawn Robbins, analista-chefe do Box Office Pro, Lightyear foi afetado pelo drama dos spin-offs. A ligação com a franquia Toy Story, que poderia ter despertado curiosidade em muitos fãs pelo fator nostalgia, é fraca — afinal, a produção conta a história do astronauta fictício que inspirou um dos brinquedos de Andy. “O marketing [do filme] nunca deixou bem claro a conexão com o brinquedo favorito de Andy até o último segundo. E eles estão comercializando este filme há algum tempo”, contou em entrevista à revista americana Variety. Outro ponto levantado foi o formato de lançamento do Disney+ que floresceu durante a pandemia. Muitos títulos do estúdio do Mickey Mouse foram direto para o streaming, e os que foram lançados no cinema chegaram à plataforma em pouco tempo — o que pode ter condicionado muitos espectadores a esperarem para assistir ao filme no conforto do lar. “A Disney treinou muitos pais para esperar filmes da Pixar em casa. Me pergunto quanto Lightyear pagou o preço por isso”, contou.

Além de LightyearTop Gun: Maverick Jurassic World: Domínio, completam o ranking dos dez filmes mais vistos durante o último final de semana no Brasil, respectivamente, Doutor Estranho no Multiverso da Loucura; o filme de ação Assassino Sem Rastro; a ficção científica Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo, o live-action Sonic 2; Amigo SecretoA Hora do Desespero e o thriller nacional A Suspeita.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)