Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Em Cartaz Por Raquel Carneiro Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca

‘Lightyear’ diverte ao misturar ação de ‘Star Wars’ e fofura da Disney

O astronauta pop de 'Toy Story' não perde a a doçura nem o humor característicos da Pixar

Por Raquel Carneiro Atualizado em 17 jun 2022, 13h32 - Publicado em 17 jun 2022, 06h00

Assim que deixou a caixa na qual veio embalado, Buzz Lightyear enfrentou uma crise existencial: o boneco acreditava piamente ser um astronauta. Só quando deparou com outros como ele é que a ficha caiu — assim como sua autoestima elevadíssima: ele não era um herói intergaláctico, era “apenas” um brinquedo. Seu processo de aceitação e de entender que tinha valor sendo quem era conduziu o gracioso Toy Story, de 1995. Em Lightyear, animação derivada dos filmes da Pixar, em cartaz nos cinemas, outra jornada de autoconhecimento espera por Buzz — não o boneco, e sim o homem que o inspirou.

Buzz Lightyear

Numa espécie de Star Wars após um banho de loja da Disney, Lightyear é apresentado como o filme favorito de Andy, o garotinho de Toy Story que ganhou de presente, lá em 1995, o boneco do Buzz. Na produção, o patrulheiro comete um erro ao pilotar uma imensa nave num planeta hostil. O queixudo caxias autossuficiente transforma culpa em obsessão e faz de tudo para tirá-­los dali — de preferência, sem ajuda. Quando Buzz retorna de um voo de teste de quatro minutos, no qual tentava atingir a hipervelocidade, descobre que no planeta se passaram quatro anos — e que a tripulação já estabeleceu uma vida ali. Buzz insiste nos voos enquanto décadas se passam para seus colegas. Eventualmente, ele se vê forçado a integrar um grupo deveras peculiar, formado por uma jovem com astrofobia (medo do espaço), um homem sem talentos, uma criminosa da terceira idade e um adorável gatinho robô.

Boneco Buzz Lightyear

A combinação de tipos diferentes, que prega a importância da colaboração e da amizade, remete não só ao próprio Toy Story: Lightyear oferece ainda uma salada de referências nostálgicas para cativar as crianças de hoje e os adultos que há mais de duas décadas carregam a memória afetiva da dupla formada por Buzz e o caubói Woody. Para além das referências óbvias a Star Wars, estão ali representados clássicos como 2001: uma Odisseia no Espaço, e a participação de luxo de Starman, sucesso de David Bowie na trilha. Saiu da órbita previsível do lançamento cheio de boas intenções morais apenas a repercussão da cena de um beijo lésbico, o que levou a produção a ser banida em países do Oriente Médio e da Ásia. Ao infinito e além, como diz Buzz — mas, em se tratando de costumes, nem sempre.

Publicado em VEJA de 22 de junho de 2022, edição nº 2794

CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO PARA COMPRAR

Buzz Lightyear
Buzz Lightyear
Boneco Buzz Lightyear
Boneco Buzz Lightyear

*A Editora Abril tem uma parceria com a Amazon, em que recebe uma porcentagem das vendas feitas por meio de seus sites. Isso não altera, de forma alguma, a avaliação realizada pela VEJA sobre os produtos ou serviços em questão, os quais os preços e estoque referem-se ao momento da publicação deste conteúdo.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)