Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Em Cartaz Por Raquel Carneiro Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca

Filme ‘Tudo em Todo o Lugar’ faz viagem filosófica pelo multiverso

No longa, uma mulher comum deve salvar o mundo — se conseguir, antes, resgatar a própria família

Por Raquel Carneiro Atualizado em 17 jun 2022, 17h17 - Publicado em 18 jun 2022, 08h00

Poucos lugares no mundo seriam mais inadequados para se ambientar um filme de ação do que um prédio da Receita Federal. O mesmo pode ser dito de uma lavanderia capenga onde as máquinas vivem dando problema e as roupas esquecidas se acumulam em pilhas bagunçadas. Mas no filme Tudo em Todo o Lugar ao Mesmo Tempo, em cartaz nos cinemas, os dois cenários cotidianos e desagradáveis se transformam em epicentros de uma batalha que envolve uma modesta família de imigrantes chineses, uma entidade do mal superpoderosa e o destino de, quem diria, toda a humanidade. Na produção independente, dirigida pelos amigos Dan Kwan e Daniel Scheinert — duo de xarás apelidados de os “Daniels”, famosos no meio pela direção de clipes musicais —, tudo o que parece um disparate é rapidamente vertido em originalidade.

Multiverso

Uma simples ida a uma repartição pública compete ombro a ombro com a adrenalina de uma aventura de heróis da Marvel. A comparação não é exagerada. Assim como o explosivo Doutor Estranho no Multiverso da Loucura, lançado neste ano, o filme viaja por universos paralelos. Os roteiros, porém, são incomparáveis, e a distância de orçamento entre os dois é abismal: Tudo em Todo o Lugar foi feito com modestos 25 milhões de dólares, ante 200 milhões do longa do super-herói — e nesse embate entre Davi e Golias, o gigante fica no chão.

Chronos: Viajantes do Tempo

Aqui, a heroína é a mais ordinária possível. Mãe nervosa, esposa ausente e dona irritadiça de uma lavanderia, Evelyn (a brilhante Michelle Yeoh) é o estereótipo da imigrante chinesa nos Estados Unidos, com semblante duro e carregada de responsabilidades. Seu marido, o doce Waymond (Ke Huy Quan), e sua filha, a melancólica Joy (Stephanie Hsu), não suportam mais a matriarca, e se afastam dela dia a dia. Quando o casal vai prestar contas à Receita, atendido por uma agente caricata (vivida pela ótima Jamie Lee Curtis), Evelyn é interceptada por uma versão bem mais interessante de seu marido, vindo de outro universo. Ele lhe apresenta a existência de outros mundos, criados a partir de escolhas distintas feitas por ela. Em um deles, Evelyn não se casou e se tornou uma mestra em artes marciais e estrela de cinema. Em outro, virou uma chef de cozinha habilidosa. As variações são infinitas. Mas o novo mundo que se abre para ela cobra uma fatura amarga: uma entidade maligna vem destruindo universos e Evelyn tem as qualidades necessárias para lutar contra ela. Ou melhor, a falta de qualidades: sendo a mais fracassada de todas as suas versões, a mulher é uma página em branco pronta para acessar as habilidades variadas de si mesma de realidades paralelas.

OUTROS MUNDOS - A protagonista em vários universos: cada escolha a levou para caminhos diversos e vidas distintas -
OUTROS MUNDOS - A protagonista em vários universos: cada escolha a levou para caminhos diversos e vidas distintas – Allyson Riggs/Diamond Films/.
Continua após a publicidade

Fazendo jus ao nome do filme, Tudo em Todo o Lugar não se prende a um gênero. Humor, drama e terror se misturam entre elaboradas cenas de lutas marciais enquanto a missão de salvar o mundo só ganha sentido quando Evelyn nota que, antes, precisa salvar a própria família da ruína. O significado do título comprido, porém, é muito mais profundo e um campo minado de spoilers.

Matéria escura

Tudo em Todo o Lugar ao Mesmo Tempo é o tipo de filme que demanda uma digestão após o subir dos créditos. Nas redes, as análises e teorias sobre a produção mergulham nos desafios da maternidade, nas agruras de transtornos psicológicos, como o déficit de atenção, e nas exigências constantes do mundo moderno. Contudo, sua mensagem mais pungente é explícita: assim como ficar em dia com o imposto de renda ou lavar roupas, o aqui e agora oferece momentos bons e ruins — e cabe a cada um passar por eles da melhor maneira possível.

Publicado em VEJA de 22 de junho de 2022, edição nº 2794

CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO PARA COMPRAR

Multiverso
Multiverso
Chronos: Viajantes do Tempo
Chronos: Viajantes do Tempo
Matéria escura
Matéria escura

*A Editora Abril tem uma parceria com a Amazon, em que recebe uma porcentagem das vendas feitas por meio de seus sites. Isso não altera, de forma alguma, a avaliação realizada pela VEJA sobre os produtos ou serviços em questão, os quais os preços e estoque referem-se ao momento da publicação deste conteúdo.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)