Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Em Cartaz

Por Raquel Carneiro
Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca
Continua após publicidade

Édith Piaf será recriada por inteligência artificial em nova cinebiografia

Ícone da música francesa já foi representada no cinema por Marion Cotillard em 2007; novo projeto será mistura de animação e documentário

Por Thiago Gelli Atualizado em 9 Maio 2024, 20h06 - Publicado em 14 nov 2023, 14h09

Uma das vozes mais distintas e icônicas da história da música, dona de clássicos como Non, Je Ne Regrette Rien e La Vie En Rose, Édith Piaf ganhará uma nova cinebiografia pelo estúdio Warner. Dessa vez, porém, nenhuma atriz passará pela interpretação que rendeu um Oscar a Marion Cotillard em 2008 por La Môme (2007). O projeto será alicerçado em inteligência artificial, que recriará o timbre e a imagem da cantora.

O longa nasce da parceria entre o Warner Music Group e o espólio de Piaf e se chamará Édith. Segundo a Variety, o filme terá 90 minutos de duração e contará a história de vida da artista entre os anos 1920 e 1960, década de sua morte. Situada em Paris e Nova York, a história será narrada por uma voz gerada por inteligência artificial baseada na da cantora e deve “revelar aspectos inéditos de sua vida”.

Segundo o estúdio, o formato da animação proporciona uma visão moderna sobre a história, mas será complementado por imagens de arquivo, apresentações no palco e na TV, entrevistas televisionadas e gravações pessoais de Piaf, a fim de assegurar a “autenticidade” do projeto. Fora a personagem central, o filme não utilizou a IA para a escrita — o roteiro é de Julie Veille e Gilles Marliac.

Segundo Veille, a criação do longa parte da pergunta “se Édith ainda estivesse conosco, que mensagens ela gostaria de passar para as gerações mais jovens?” A conclusão a qual chegou foi que a francesa ficaria feliz em comunicar os aprendizados de sua vida de “resiliência” e “desafios às normas sociais”.

Piaf viveu de 1915 a 1963, período em que vendeu aproximadamente 40 milhões de discos ao redor do mundo. Além de sua atuação na música, ela ajudou dezenas de franceses a fugirem de campos de concentração durante a Segunda Guerra Mundial, se infiltrando na Alemanha com shows.

Continua após a publicidade
.
Marion Cotillard como Édith Piaf no filme ‘Piaf: Um Hino ao Amor’ (./Divulgação)

Acompanhe notícias e dicas culturais nos blogs a seguir:

Tela Plana para novidades da TV e do streaming
O Som e a Fúria sobre artistas e lançamentos musicais
Em Cartaz traz dicas de filmes no cinema e no streaming
Livros para notícias sobre literatura e mercado editorial

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.