Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Em Cartaz

Por Raquel Carneiro
Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca
Continua após publicidade

‘Adão Negro’: a espinhosa luta de The Rock para salvar estúdio em crise

Grandalhão tem a missão de dar novo fôlego aos heróis da DC — e, se possível, ajudar a Warner a se recuperar de momento difícil

Por Raquel Carneiro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 21 out 2022, 10h46 - Publicado em 21 out 2022, 06h00

Com habilidade de antever o futuro, o Senhor Destino (Pierce Brosnan) tenta dialogar com Teth Adam, anti-herói imbatível vivido por Dwayne Johnson e protagonista de Adão Negro (Black Adam, Estados Unidos, 2022), em cartaz no país. Após 5 000 anos adormecido sob as ruínas de Kahndaq, cidade fictícia que remete ao antigo Egito, Teth voltou com pouquíssima disposição para fazer amigos. Prevendo o cataclismo que pode se desenrolar com um poderoso descontrolado solto por aí, Destino lhe adverte: “Você tem duas opções: ser o destruidor do mundo ou seu salvador”. A frase, ironicamente, se aplica ao personagem também fora das telas. Adão Negro chegou aos cinemas com a missão de salvar — ou, ao menos, dar algum fôlego — o tradicional estúdio Warner Bros. e, de quebra, melhorar as expectativas sobre os próximos filmes de heróis da DC Comics.

Adão Negro: A Era das Trevas (DC Deluxe)

Embora englobe a grife detentora dos populares Batman e Superman e controle marcas vistosas como HBO e Cartoon Network, a Warner vem enfrentando uma crise sem precedentes. Em abril, a empresa se fundiu com a Discovery+ e passou a se chamar Warner Bros. Discovery. Ao assumir a dívida de 50 bilhões de dólares do grupo, o novo CEO, David Zaslav, instaurou uma política de economia draconiana. Projetos foram cancelados, funcionários demitidos e, numa jogada dramática, um filme de 90 milhões de dólares prontinho foi descartado. Batgirl, estrelado por Leslie Grace e com Michael Keaton de volta ao figurino do Batman, entrou na gaveta sem previsão de sair de lá.

Adão Negro: Os Arquivos da Sociedade da Justiça

Continua após a publicidade

Fontes da indústria do cinema sustentam que, no corte de custos, a Warner Bros. se viu fadada a lançar só dois filmes neste ano, adiando as sequências de Aquaman e Shazam!. Os escolhidos foram Não Se Preocupe, Querida, drama com Harry Styles que não vingou — e, agora, Adão Negro. Mas, enquanto Dwayne Johnson exibe músculos de sobra, o filme, infelizmente, é fraquinho, fraquinho…

Adão Negro

Teth Adam é à prova de balas, fortíssimo e veloz. A falta de vulnerabilidades físicas o afasta do espectador — afinal, como torcer para alguém que nunca perde? Salvam-se um pouco as cenas de luta hipnotizantes, especialmente as que o opõem ao Gavião Negro (Aldis Hodge), líder da Sociedade da Justiça, grupo que tenta manter o mundo em ordem. “Foram milhares de pessoas envolvidas. São cenas que levam meses para filmar”, disse a VEJA o diretor Jaume Collet-Serra. Ele usou o exemplo de união coletiva para lamentar a decisão de cancelamento de Batgirl: “Fico mal por todos os envolvidos”. Haja força para Adão Negro superar o desafio.

Continua após a publicidade

Publicado em VEJA de 26 de outubro de 2022, edição nº 2812

CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO PARA COMPRAR

Adão Negro: A Era das Trevas (DC Deluxe)
Adão Negro: A Era das Trevas (DC Deluxe)
Adão Negro: Os Arquivos da Sociedade da Justiça
Adão Negro: Os Arquivos da Sociedade da Justiça
Adão Negro
Adão Negro

*A Editora Abril tem uma parceria com a Amazon, em que recebe uma porcentagem das vendas feitas por meio de seus sites. Isso não altera, de forma alguma, a avaliação realizada pela VEJA sobre os produtos ou serviços em questão, os quais os preços e estoque referem-se ao momento da publicação deste conteúdo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.