Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Educação em evidência

Por João Batista Oliveira
O que as evidências mostram sobre o que funciona de fato na área de Educação? O autor conta com a participação dos leitores para enriquecer esse debate.
Continua após publicidade

Educação: mais recursos ou melhor gestão?

educação de qualidade exige recursos. Mas isso não significa que o prefeito só conseguirá dar um salto na qualidade da educação se investir muito mais.

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h58 - Publicado em 1 set 2016, 08h00

Ao longo da vida, eu tive contato com centenas, talvez milhares de prefeitos. Antes da eleição – sobretudo a primeira – os recursos são ilimitados: o prefeito vai fazer e acontecer. O antecessor não fez por que não sabe de nada. Mas a realidade não é bem assim.

Criou-se no Brasil uma unanimidade equivocada em torno da ideia de que a educação não melhora porque precisa mais recursos. Isso tem servido de desculpa para justificar maus resultados. O fato é que o país hoje gasta quatro vezes mais do que há 30 anos com a educação básica – e os resultados praticamente são os mesmos.

O tema exige cautela: educação de qualidade exige recursos. Mas isso não significa que o prefeito só conseguirá dar um salto na qualidade da educação se investir muito mais. O Instituto que presido, Instituto Alfa e Beto, em parceria com a Revista VEJA, oferece um prêmio – o Prêmio Prefeito Nota 10 – para os prefeitos cujos municípios atinjam determinados níveis de desempenho (clique aqui para saber detalhes sobre o Prêmio). Ao identificarmos os finalistas, raramente encontramos entre eles municípios que gastam muito com educação: ao contrário, são municípios que gastam apenas os valores constitucionais.

Qual é o nó da questão? O nó da questão está na qualidade do gasto: a maioria dos municípios tem poucos recursos, é verdade, mas gastam mal o pouco que têm: excesso de professores, excesso de funcionários, planos de carreira inadequados, escolas com tamanho e/ou localização inadequados, reprovação elevada de alunos, custos elevados com transporte escolar, e por aí vai. Tudo isso pode ser resumido numa palavra: má gestão de recursos humanos e financeiros.

O primeiro passo para melhorar a qualidade da educação é melhorar a qualidade da gestão. Para melhorar a educação é preciso bons gestores – capazes de criar as condições necessárias e suficientes para os educadores fazerem a parte deles. O contrário não tem dado certo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.