Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Educação em evidência

Por João Batista Oliveira Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
O que as evidências mostram sobre o que funciona de fato na área de Educação? O autor conta com a participação dos leitores para enriquecer esse debate.
Continua após publicidade

Alfabetização na Base Nacional Comum Curricular

Ao que tudo indica nesta quinta-feira, o país assistirá ao ridículo espetáculo da “votação” da proposta da Base Nacional Curricular Comum.  

Por João Batista Oliveira Atualizado em 5 dez 2017, 19h22 - Publicado em 5 dez 2017, 19h21

As últimas informações sobre a questão da alfabetização na Base Nacional Curricular Comum constituem um atestado da indigência intelectual de nossos governantes e da sua inépcia na condução do tema.

No Brasil, os insignes membros do Conselho Nacional de Educação, os luminares do MEC e autointitulados especialistas discutem se a alfabetização deve ser concluída no segundo ou terceiro ano. Invocam razões legais ou até mesmo o nível de pobreza dos alunos. Pobres alunos!

Enquanto isso, nos jornais europeus de ontem, o governo britânico celebrava os resultados de sua decisão – na virada do século – de mudar o currículo da alfabetização e obrigar as escolas a utilizar métodos cientificamente apropriados para alfabetizar as crianças.

Nesta semana, uma avaliação internacional de leitura confirmou o acerto da decisão britânica, que hoje ocupa o oitavo lugar em um ranking de 50 países. Outro dado relevante (para quem não ignora as evidências): 58% dos alunos britânicos de 6 anos de idade atingiram os padrões ao final do primeiro ano escolar e 92% ao final do segundo ano. Vale afirmar que, por suas características, a língua inglesa é a que mais apresenta dificuldade para a aprendizagem da leitura.

Continua após a publicidade

Além do sucesso da reforma curricular, realizado com bases científicas, vale a pena entender como é o teste: uma lista de 40 palavras e pseudo-palavras. Vale contrastá-lo com o que o MEC acaba de divulgar – um estranho teste chamado ANA – Avaliação Nacional da Alfabetização. Entre outras jabuticabas, o teste brasileiro é tão estranho que neles os alunos obtêm resultados na escrita superiores aos de leitura. Nada disso suscitou qualquer reação da comunidade acadêmica.

Por falar em jabuticaba, em breve, ao que tudo indica nesta quinta-feira, o país assistirá ao ridículo espetáculo da “votação” da proposta da Base Nacional Curricular Comum.

No próximo ano, teremos nova chance de eleger nossos governantes. Quem sabe as coisas começam a mudar.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.