Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Dúvidas Universais Por Duda Teixeira Os fatos internacionais que desafiam a lógica e o bom-senso explicados de maneira clara e atraente. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Por que há tantos irmãos terroristas?

Os laços familiares sempre foram de grande valia para os extremistas

Por Duda Teixeira Atualizado em 30 jul 2020, 23h10 - Publicado em 24 mar 2016, 17h48

Nos atentados de Bruxelas, dois irmãos estavam entre os terroristas: Khalid e Ibrahim el-Bakraou. O belga Salah Abdeslam foi preso dias antes e seu irmão, Brahim Abdeslam, explodiu-se em Paris em novembro. Chérif e Said Kouachi atacaram o jornal Charlie Hebdo. Nos atentados da maratona de Boston, mais dois irmãos: Tamerlan e Dzhokhar Tsarnaev.

Como explicar tantos irmãos entre os terroristas?

Os laços familiares sempre foram de grande valia para os extremistas. Quando recrutam novatos, há uma preocupação constante de que esse seja um infiltrado ou que acabe denunciado os demais para as autoridades.

Irmãos são confiáveis e comprometidos. Com isso, são fundamentais em operações desse tipo, que exigem segredo operacional“, diz a canadense Mia Bloom, autora do livro Bombshell e professora da Georgia State University, nos Estados Unidos. “É normal também que os terroristas recrutem famílias inteiras.”

De quebra, as chances de deserções são menores, assim como a probabilidade de um homem-bomba desistir de se explodir. Uma vez dentro dos grupos, eles são submetidos a uma pressão social muito grande e aprendem que, se não fizeram o combinado, trarão vergonha para o resto da família.

Há ainda vários casos de pessoas que entram para o terrorismo com a ideia de proteger o irmão ou um parente. Com o tempo, eles acabam sendo sugados para dentro das organizações.

Continua após a publicidade

Sobre o futuro, diz Mia Bloom: “Hoje o grau de parentesco mais comum é o de irmãos, mas com o tempo haverá mais pais e filhos, uma vez que o Estado Islâmico (EI) tem atraído muitas crianças”.

OUTRAS DÚVIDAS UNIVERSAIS

Por que os americanos não se abraçam? 

Por que as lanchonetes de Beirute não vendem beirute?

Dá para ser budista e terrorista ao mesmo tempo?

Se o paraíso islâmico tem 72 virgens, que interesse teria nele uma mulher-bomba?

Quer ser avisado sobre os próximos posts? Siga o Dúvidas Universais no Twitter e no Facebook.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)