Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Dúvidas Universais Por Duda Teixeira Os fatos internacionais que desafiam a lógica e o bom-senso explicados de maneira clara e atraente. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O burquíni pode prevenir câncer de pele?

Apesar de ser muito ensolarada, a Arábia Saudita é um dos países com menor incidência de câncer de pele do mundo: 0,3 casos em cada 100 000 mulheres. O valor é parecido com o de outras nações da região, como Catar, Emirados Árabes Unidos, Omã e Iêmen, com índices entre 0,2 e 0,4 casos em cada 100 000 […]

Por Duda Teixeira Atualizado em 30 jul 2020, 21h57 - Publicado em 1 set 2016, 12h34
De burquíni (ou burkini), Nissrine Samali, de 20 anos, entra no mar em praia de Marselha, na França (AP)

De burquíni (ou burkini), Nissrine Samali, de 20 anos, entra no mar em praia de Marselha, na França (AP)

Apesar de ser muito ensolarada, a Arábia Saudita é um dos países com menor incidência de câncer de pele do mundo: 0,3 casos em cada 100 000 mulheres.

O valor é parecido com o de outras nações da região, como Catar, Emirados Árabes Unidos, Omã e Iêmen, com índices entre 0,2 e 0,4 casos em cada 100 000 mulheres.

São números bem abaixo dos de outros países. Na Austrália, a incidência é de 30/100 mil. Na Dinamarca, 22/100 mil. Brasil; 2,4/100 mil.

Há duas razões para isso. A primeira é o uso, em países onde predominam vertentes mais radicais do Islã, de roupas compridas, como a burca, que cobrem o corpo da mulher e só deixam o rosto, as mãos e os pés à mostra.

A segunda é a cor da população. Pessoas com tez mais clara têm mais propensão a desenvolver melanomas na epiderme. No Brasil, as taxas de câncer de pele são maiores nos estados do sul, onde há mais descendentes de imigrantes europeus.

 

OUTRAS DÚVIDAS UNIVERSAIS

O que Madre Teresa de Calcutá não tinha de santa?

Continua após a publicidade

Por que a família real saudita é tão numerosa? 

Por que os terroristas do Estado Islâmico executam gays mas mantêm gays em suas fileiras? 

Quer ser avisado sobre os próximos posts? Siga o blog no Twitter @DudaTeixeira e no Facebook Duda Teixeira – Dúvidas Universais.

 

Não há estudos científicos sobre a eficiência do burquíni em proteger as mulheres do câncer de pele. Não deu tempo para isso ainda. Essa peça de roupa feminina só foi inventada em 2003, na Austrália. Mas, baseado nas estatísticas, é razoável supor que o burquíni teria um efeito benéfico para a saúde feminina.

O porém é que, ao se expor menos, as sauditas têm chance maior de desenvolver osteoporose. Como tomam pouco sol, produzem menos vitamina D.

“A osteoporose, por sua vez, pode ser evitada com outros hábitos, como o de beber leite. Por isso, eu encorajo firmemente as mulheres a continuar usando roupas conservadoras devido aos benefícios para a pele e para a saúde em geral“, diz o médico dermatologista Khalid Al Aboud, diretor do departamento de saúde pública do Hospital King Faisal, na Arábia Saudita.

Na Austrália, onde a incidência de câncer de pele é altíssima, 90% das mulheres que compram burquíni não são muçulmanas. Elas apenas querem se proteger do sol. Ou, talvez, esconder as gordurinhas extras. Não seria uma boa ideia?

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)