Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Clarissa Oliveira Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Notas sobre política e economia. Análises, vídeos e informações exclusivas de bastidores
Continua após publicidade

No pós-carnaval, Lula abrirá temporada de cargos e emendas

Na volta dos trabalhos no Congresso, negociação no varejo deve amarrar primeiras votações estratégicas do novo governo

Por Clarissa Oliveira
23 fev 2023, 10h45

Decidido a criar as condições para aprovar a nova âncora fiscal e ao menos uma parte da reforma tributária, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve dar o sinal verde para as negociações no Congresso já na volta do carnaval. Líderes governistas admitem que não será simples montar uma base consolidada para Lula, mas entendem que há condições suficientes para viabilizar votações estratégicas no varejo.

+Leia também: O protesto silencioso nos bastidores do desfile da Beija-Flor

Por varejo, leia-se por meio da liberação de cargos até agora represados no segundo e terceiro escalão, além da liberação de emendas parlamentares que devem se estender até mesmo a novos parlamentares e integrantes de partidos que apoiaram o ex-presidente Jair Bolsonaro. O governo entende que está bem adiantado nas conversas com setores do PL, PP e Republicanos, por exemplo.

A aprovação da nova âncora fiscal, que o governo pretende enviar ao Congresso até o mês que vem, será o primeiro grande teste. Mas a reforma tributária segue sendo a grande prioridade da nova gestão. Pode, inclusive, passar na frente na agenda de votações, de acordo com congressistas ouvidos pela coluna. Lula também entende que é essa votação que permitirá validar em definitivo Fernando Haddad no comando da Fazenda. Se a reforma sair, pode trazer um alento na relação entre o ministro e o mercado.

Continua após a publicidade

Nos bastidores, o discurso do governo é de otimismo. Há quem diga que, embora as conversas sigam em andamento, o Planalto já dispõe dos votos necessários para aprovar mudanças na Constituição. Claro, com uma mãozinha e tanto do presidente da Câmara, Arthur Lira. Lula também espera ter ajuda de governadores no trabalho de convencimento, inclusive alguns de partidos de oposição. A recente aproximação entre o presidente e o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, por exemplo, é tida como estratégica.

+Leia também: Oposição deve ajudar Lula na aprovação da reforma tributária, diz deputado

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.