Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Augusto Nunes

Por Coluna Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Com palavras e imagens, esta página tenta apressar a chegada do futuro que o Brasil espera deitado em berço esplêndido. E lembrar aos sem-memória o que não pode ser esquecido. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

A choradeira da bancada contrária à Nova Previdência é coisa de 171

Se não houver mudanças profundas no sistema em vigor, os jovens de hoje serão idosos sem aposentadoria

Por Augusto Nunes Atualizado em 23 mar 2019, 15h18 - Publicado em 23 mar 2019, 15h18

Sim, o governo deve articular com menos amadorismo o esforço pela aprovação da Nova Previdência. Sim, o presidente Jair Bolsonaro precisa defender com mais entusiasmo e determinação as mudanças propostas por Paulo Guedes. Sim, os responsáveis pela área de comunicação têm de mostrar com mais clareza e competência que ou se faz a reforma ou se faz a reforma; não existe uma terceira opção.

Feitas essas ressalvas, deve-se condenar com a merecida indignação o comportamento cafajeste de boa parte do Congresso. Muitos deputados e senadores se queixam da “falta de atenção” do presidente da República. Conversa de 171. Se o problema fosse carência de carinho, seria resolvido com meia dúzia de churrascos na Granja do Torto. O que eles querem são cargos no segundo escalão, frequentemente mais lucrativos que ministérios.

Os cofres do DNIT, por exemplo, são bem mais atraentes que o orçamento de um Ministério do Turismo. Numerosos parlamentares também resmungam pelos cantos contra alguns itens do projeto do ministro da Economia. É para isso que existem discussões e votações no Senado e na Câmara. Se os queixosos são sinceros, que tentem modificar, aperfeiçoar ou eliminar o que não os agrade durante a tramitação do projeto.

Surgiram mais recentemente os insatisfeitos com a proposta que trata da aposentadoria e da reformulação do plano de carreira dos militares. Dois lembretes. Pela primeira vez, uma reforma ousou incluir a casta verde-oliva. E nada impede que o texto seja alterado pelo Legislativo. O Brasil deve exigir que deputados e senadores parem de pensar exclusivamente na próxima eleição e, pela primeira vez na história da República, pensem nas próximas gerações.

Se não houver mudanças profundas no sistema em vigor, os jovens de hoje serão idosos sem aposentadoria.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.