Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Alberto Carlos Almeida Por Alberto Carlos Almeida Opinião política baseada em fatos

Políticos a favor do lockdown nacional

A indústria humana sempre possibilitou o soerguimento de economias que entraram em ruína, enquanto a morte físcia é definitiva

Por Alberto Carlos Almeida 5 Maio 2020, 14h13

Todos os políticos responsáveis deveriam passar a defender o lockdown nacional. Imediatamente. É compreensível a resistência de governadores e prefeitos em função da pressão e, mpresarial. O Brasil havia ganhado o bilhete premiado quando foi possível começar cedo a quarentena. As notícias do quadro catastrófico da Itália chegaram aqui com rapidez e ajudaram a sensibilizar os governos estaduais, municipais e a população. Sabemos que estávamos conseguindo conter a pandemia. Igualmente, sabemos agora que o ritmo de contágio aumentou e o sistema de saúde atingiu o seu limite em vários estados e municípios.

A pressão dos pequenos, médios e grandes negócios sobre os políticos é imensa e compreensível. Os empresários estão vendo seus empreendimentos trilhando o rumo da falência, projetos de vida e economias feitas por muitos anos para se fazer investimentos estão se esvaindo pelo ralo da crise. Além disso, empregos estão sendo perdidos. A nossa taxa de desemprego que já era elevada, corre o risco, segundo alguns especialistas, de dobrar. Avizinha-se uma crise de proporções nunca vistas.

Por outro lado, a vida é o maior direito de qualquer ser humano. Ela é transitória e vem se tornando cada vez mais longa e saudável. Já a morte é definitiva. O que as sociedades mais valorizam é o direito de ter uma vida longa e confortável, vem sendo esse o objetivo buscado por homens e mulheres há séculos. Diante disso, a economia pode esperar. Crises vêm e passam, aparecem e vão embora. A indústria humana sempre possibilitou o soerguimento de economias que entraram em ruína.

O Governador Flávio Dino teve a sorte de contornar a pressão dos empresários de seu estado. No Maranhão a justiça decretou o lockdown, coube ao governado tão somente cumprir a determinação legal. Flávio Dino foi juiz, talvez isso tenha tido algum peso no empurrão que o judiciário local deu para que fosse tomada uma medida tão importante no salvamento de vidas. Porém, os eleitores não votaram em juízes, mas em políticos. São eles que têm o mandato para cuidarem da população, e é justamente por isso que precisam passar a propor e aprovar o lockdown nacional.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)