Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Tribunal polonês condena mulher por matar 2 milhões de abelhas

Extermínio foi causado por uso de pesticida sem autorização do Ministério da Saúde

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h14 - Publicado em 12 fev 2014, 14h17

Uma corte polonesa sentenciou nesta terça-feira a quatro meses de prisão uma mulher considerada culpada de matar 2 milhões de abelhas pelo uso excessivo de um pesticida contra mosquitos.

A mulher, identificada pelo tribunal como Joanna S., devido a leis de privacidade, era encarregada de uma operação mata-mosquitos em 2010. Naquele ano, inundações registradas em uma cidade vizinha estimularam um nascimento anormal de mosquitos em águas paradas. Joanna usou um pesticida sem autorização do Ministério da Saúde do país para eliminar o inseto.

“A operação (mata-mosquito) também poderia ter custado vidas humanas”, disse Lucjan Furmanek, diretor da associação de apicultores de Gorlice, sudeste da Polônia. “Eu espero que a decisão da corte evite outros desastres ambientais”, acrescentou, segundo a agência de notícias polonesa PAP. A decisão do tribunal de Gorlice permite que apicultores possam entrar com uma ação civil por danos vinculados à morte maciça de abelhas, que se seguiu à operação de pulverização do inseticida.

Leia também:

As abelhas estão desaparecendo. E isso é preocupante​

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade