Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Subsolo de Marte pode conter vida microbiana

Pesquisa reuniu informações sobre a Terra e as comparou com o planeta vermelho. De acordo com estudo, vida no mundo alienígena poderia chegar a representar 3% do volume do planeta

Vastas regiões nas profundidades do subsolo de Marte têm condições necessárias para abrigar vida microbiana. A informação foi divulgada nesta segunda-feira por cientistas australianos que compararam as condições de vida no planeta vermelho com as da vida na Terra.

Apesar de apenas 1% do volume total da Terra (do núcleo à alta atmosfera) abriga alguma forma de organismo vivo. A proporção alcançaria, em tese, 3% do volume de Marte, especialmente nas regiões subterrâneas, segundo Charley Lineweaver, da Universidade Nacional da Austrália. A equipe de Charley reuniu informações sobre pressão e temperatura nos dois planetas e lançaram a seguinte pergunta: este conjunto é suficiente para tornar favorável a formação de vida em Marte?

A resposta, de acordo com os pesquisadores, é sim. “Vastas regiões de Marte são compatíveis com a vida terrestre na comparação das temperaturas e da pressão terrestre com as que se encontram no planeta Marte”, disse Charley. A escassa pressão e as temperaturas de 60 graus célsius abaixo de zero não permitiriam, por exemplo, a formação de água líquida na superfície de Marte, mas nas profundidades do subsolo, porém, existem condições para a existência de vida microbiana.

A presença de água em Marte, na forma de argila hidratada, foi constatada por sondas americanas lançadas desde a década de 1970, mas nenhum rastro de vida orgânica presente foi detectado até hoje.

No dia 26 de novembro, a Nasa lançou o jipe explorador Curiosity, o mais sofisticado e mais pesado já enviado a outro planeta, para investigar se a vida já existiu em Marte. O robô deve pousar em Marte em agosto de 2012 ao pé de uma montanha de 5.000 metros de altura na Cratera Gale, na região equatoriana do planeta.

(Com Agência France-Presse)