Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Seu gato não está nem aí para você, confirma estudo

Pesquisadores ingleses confirmaram que os animais são independentes e parecem não sentir falta dos humanos. Mas isso não significa que não amem seus donos

Os gatos não precisam dos humanos e não parecem sentir nenhuma falta deles. De acordo com uma pesquisa feita por cientistas ingleses, esses animais são tão independentes que não necessitam de ninguém para se sentirem seguros – mas isso não significa que não amem os donos. A análise, publicada esta semana no periódico Plos One, revela que os gatos mostram pouco ou nenhum sinal de ansiedade ao verem os humanos partir, ao contrário do que acontece com os cachorros ou os bebês.

Leia também:

Gato: o animal ideal do século XXI

Austrália declara guerra aos gatos

Para isso, os pesquisadores observaram a reações de 20 gatos domésticos ao serem colocados em um ambiente desconhecido inicialmente com seus donos, em seguida com estranhos ou sozinhos. Eles monitoraram a necessidade de contato e os níveis de stress causados pela ausência de humanos. Isso foi feito por meio de um teste desenvolvido para medir os vínculos entre bebês e seus cuidadores e que também é usado para verificar a relação entre animais de estimação e seus donos. Ele analisa o grau dos “laços de segurança”, ou seja, o quanto o elo mais frágil da relação precisa do mais forte para se sentir protegido e seguro. Para crianças e cachorros esse grau é bastante elevado mas, em relação aos gatos, ele é praticamente inexistente.

“Apesar de os gatos miarem mais quando são deixados pelo dono com estranhos, não há nenhuma outra evidência consistente com a interpretação de um ‘laço de segurança'”, escrevem os autores. “Nossos resultados são consistentes com a visão de que gatos são tipicamente autônomos em suas relações sociais.”

Os pesquisadores explicam que, apesar serem independentes e não precisar de seus donos, isso não quer dizer que não desenvolvam vínculos ou afeição por eles. Eles simplesmente não dependem dos humanos como um cão – ou um bebê.

Animal selvagem – A conclusão do estudo não é totalmente inesperada, pois os gatos, ao contrário de outros animais domesticados pelo homem, ainda mantém sua essência selvagem. A evolução os fez um dos melhores caçadores do reino animal e, por isso, têm um comportamento independente e autônomo, característica fundamental dos bons predadores.

De acordo com o biólogo americano John Bradshaw, uma das maiores autoridades em comportamento animal, a palavra certa para descrever a emoção que os gatos experimentam em relação a seus donos é “amor”. No entanto, os bichanos estão longe de serem mansos e obedientes, exatamente por seu comportamento independente. Em entrevista ao site de VEJA, Bradshaw afirmou que “gatos e cachorros apelam a diferentes partes da natureza humana. Os gatos oferecem um vislumbre da vida selvagem, enquanto os cachorros oferecem lealdade e submissão.”

(Da redação)