Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Satélite brasileiro CBERS-4 envia primeiras imagens

Fotografias da região de Armação de Búzios, no Rio de Janeiro, foram feitas um dia depois do lançamento do satélite de uma base na China

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou na segunda-feira as primeiras imagens fotografadas pelo satélite sino-brasileiro CBERS-4, lançado no domingo da base espacial chinesa de Taiyuan. As fotografias são da região de Armação de Búzios, no Rio de Janeiro, e foram obtidas pela câmera MUX (Imageador de Média Resolução), a primeira câmera para satélite inteiramente desenvolvida e produzida no Brasil, que oferece uma resolução muito superior à dos satélites anteriores.

As imagens obtidas com o novo satélite serão utilizadas, entre outras funções, para mapear queimadas, monitorar o desflorestamento da Amazônia, acompanhar a expansão agrícola e estudar a área de desenvolvimento urbano.

O CBERS-4, que pesa 2 toneladas, é equipado ainda com outras três câmeras. O satélite viaja a 4,2 quilômetros por segundo e dá uma volta completa na Terra a cada 100 minutos. Ele tem capacidade de gravar até 15 minutos de imagens por dia. As imagens capturadas nesses primeiros dias estão sendo usadas como teste para que sejam feitos ajustes na câmera.

Leia também:

Sonda da Nasa será usada em dois projetos com participação brasileira

Primeiro foguete brasileiro com combustível líquido é lançado com sucesso

O lançamento do CBERS-4, quinto satélite do programa sino-brasileiro, estava previsto para dezembro de 2015, mas foi antecipado devido à perda do CBERS-3, em dezembro do ano passado. Uma falha de funcionamento do veículo lançador chinês, o Longa Marcha 4B, causou a destruição do equipamento.

Nos 25 anos de história da parceria entre o Brasil e a China, já haviam sido lançados o CBERS-1, CBERS-2 e CBERS-2B, que foi colocado em órbita em outubro de 2003 e deixou de funcionar em 2010. Juntos, os satélites CBERS-3 e 4 consumiram 300 milhões de reais de investimento do Brasil.