Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Saiba como o avião da Malaysia Airlines pode ser localizado

Aeronaves como o Boeing 777 possuem diversos sistemas de localização. Conheça os principais

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h13 - Publicado em 15 mar 2014, 12h07

Uma semana depois do desaparecimento do avião que ia de Kuala Lumpur, na Malásia, para Pequim, na China, as áreas de busca chegaram ao Oceano Índico. Inicialmente, as autoridades locais concentraram os esforços em parte do Mar do Sul da China e nas áreas do oceano controladas por Hong Kong e Sumatra. Nos dias seguintes, elas foram ampliadas a oeste, no Estreito de Malaca, quando sinais em radares militares indicaram que o avião poderia ter se dirigido àquela região, passando sobre a Península da Malásia. Sem o Oceano Índico, a área total de busca soma 92 600 quilômetros quadrados, quase o tamanho de Portugal. Nenhum sinal ainda foi localizado, apesar de aeronaves como o Boeing 777 terem de diversos sistemas de localização.

(1) Radar primário: a antena emite um sinal que encontra o avião e volta, indicando sua localização; (2) Radar secundário: A antena emite um sinal que é recebido pelo transponder, que responde com o local onde está e outros dados sobre a aeronave

Leia também:

Mistério do Malaysia Airlines: Como um avião pode ter desaparecido do radar?

Continua após a publicidade

Não é possível um piloto desligar todos os sistemas de comunicação’, diz especialista

“Os radares são apenas um desses equipamentos”, explica Elones Ribeiro, diretor da faculdade de Ciências Aeronáuticas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). “Mas são um sistema importante, capaz de fornecer a posição e outras informações importantes aos órgãos de controle.”

Radares – Todas as aeronaves são localizadas por meio da combinação de dois tipos de radares: primários e secundários. O primário é mais simples e apenas emite ondas que, ao esbarrarem no avião, mostram ao controlador a posição da aeronave.

Já as antenas do radar secundário são equipadas com uma barra horizontal chamada “interrogador”. Continuamente, essa barra lança sinais que são recebidos por um equipamento acoplado ao avião chamado transponder. Ele responde para a antena com informações como localização, altitude, velocidade e dá detalhes que identificam a aeronave – qual é o avião ou que voo está fazendo.

“Todas as aeronaves no Brasil são obrigadas a ter transponder. É ele que dá informações mais precisas sobre a aeronave”, explica Ribeiro. “Aviões avançados como o Boeing 777 dispõem de vários equipamentos que permitem que seja localizado e, mais que isso: eles costumam ser duplos. Há duas unidades de transponder, por exemplo”, afirma Ribeiro. Isso acontece porque, no caso de um dos equipamentos falhar, o outro assume o seu lugar.

Confira abaixo quais os sistemas que os aviões têm para informar sua posição:

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)