Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Rússia adia voo tripulado e não descarta evacuar ISS

Anúncio ocorre depois de acidente com cargueiro que levava equipamentos e alimentos à Estação Espacial Internacional

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 17h02 - Publicado em 29 ago 2011, 16h32

A Rússia anunciou nesta segunda-feira que irá adiar para o fim de outubro ou começo de novembro sua próxima missão tripulada à Estação Espacial Internacional (ISS), cujo lançamento estava previsto para 22 de setembro. A decisão ocorre depois que uma nave de carga russa caiu na Sibéria, após uma tentativa fracassada de alcançar a órbita terrestre. Além disso, agências espaciais internacionais não descartam a possibilidade de evacuar a ISS.

O voo tripulado estava previsto para levar à ISS os russos Anton Chkaplerov e Anatoli Ivanichin, além do americano Dan Burbank. Os três deveriam substituir os cosmonautas russos Andrei Borisenko e Alexandre Samokutiaiev, bem como o astronauta americano Ronald Garan, que terão que adiar seu retorno à Terra, previsto inicialmente para 8 de setembro. “Acredito que seu retorno à Terra ocorrerá em 16 de setembro”, disse Alexei Krasnov, um dos diretores da agência espacial russa Roscomos. “Certamente não voltarão no (dia) 8.” A Roscosmos e a Nasa garantem que a segurança da tripulação está assegurada e que não faltarão nem provisões, nem oxigênio, caso a missão se prolongue.

Trapalhada russa

Programa espacial sofre com série de fracassos

5 de dezembro de 2010

Três satélites russos do sistema GLONASS, concorrente russo do americano GPS, caíram no pacífico em um lançamento fracassado. Dirigentes da agência disseram que os satélites sofreram uma situação não planejada.

29 de dezembro de 2010

Insatisfeito com o rendimento da agência, o presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, demitiu o vice-diretor da Roscosmos, Viktor Remishevsky, e Vyacheslav Filino, vice de engenharia da Energia, empresa que constrói os equipamentos espaciais russos. O puxão de orelha não foi suficiente para segurar o presidente da Roscosmos, Anatoly Perminov, substituído em abril de 2011 por Vladmir Popovkin.

18 de agosto de 2011

Continua após a publicidade

O satélite de comunicação Express-AM4, que seria responsável por serviços de internet e televisão digital para a Rússia e mais 11 países da Comunidade dos Estados Independentes entrou na órbita errada. Os engenheiros russos perderam contato com a sonda e não conseguiram reaver o controle.

24 de agosto de 2011

A nave de carga Progress-M-12M caiu na Sibéria logo após seu lançamento. Equipada com cerca de três toneladas de equipamentos e alimentos para levar à Estação Espacial Internacional (ISS), não conseguiu entrar na órbita correta em função de um problema no sistema de propulsão.

A nave de carga Progress M12-M, que levava várias toneladas de equipamentos e alimentos para a ISS, caiu na semana passada, 325 segundos após ser lançada do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. O foguete Soyuz-FG, que devia levar os cosmonautas ao espaço, tem o mesmo motor do foguete Soyuz-U, que não conseguiu colocar em órbita o cargueiro Progress. Um encarregado do setor espacial russo informou que foi “decidido suspender o lançamento de foguetes Soyuz até que as causas do acidente sejam conhecidas.”

O acidente ocorreu poucas semanas depois de os Estados Unidos terem encerrado seu programa de ônibus espaciais, fazendo da Rússia o único país capaz de levar astronautas à ISS. “Se, por alguma razão, fracassarmos em enviar o novo equipamento até o fim de novembro, devemos estudar todas as opções possíveis, inclusive a de deixar a estação sem tripulantes”, disse Krasnov.

A evacuação da ISS seria algo inédito desde o ano 2000 e o lançamento das primeiras missões tripuladas. “A estação pode funcionar sozinha, pois é automatizada, mas a ausência de tripulação a bordo não é desejável”, declarou à rádio Echo de Moscou o especialista espacial russo Yuri Karach.

Fracassos – Para a Rússia, a perda do cargueiro Progress foi um grave revés. Foi o quarto fracasso em lançamentos de satélites ou cápsulas espaciais da Rússia desde dezembro de 2010. Mas trata-se, em especial, do primeiro problema ocorrido com um Progress desde que esta nave começou a ser empregada, em 1978, ainda durante a União Soviética.

O fracasso acontece no momento em que a Rússia assume um papel-chave na exploração do espaço. Depois do lançamento do último ônibus espacial americano, a Nasa depende das naves russas para transportar astronautas para a ISS até que uma nova nave americana esteja pronta para realizar missões, talvez em 2015.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)