Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Rio+20 inclui combate à corrupção entre as medidas essenciais ao desenvolvimento sustentável

Documento que será submetido aos chefes de estado conclama os países a ratificar a convenção da ONU contra a corrupção

Por Da Redação - Atualizado em 6 maio 2016, 16h33 - Publicado em 19 jun 2012, 16h31

O documento aprovado no final da manhã desta terça-feira na Rio+20 inclui o combate à corrupção e à lavagem de dinheiro entre as medidas prioritárias para o desenvolvimento sustentável. “Afirmamos que a corrupção desvia recursos de atividades vitais à erradicação da pobreza, o combate à fome e o desenvolvimento sustentável. Estamos determinados a seguir no combate a esse crime em todas as suas manifestações, o que requer instituições fortes em todos os níveis”, reza o tópico 266, que insta os países que ainda não o fizeram a aderir ou ratificar a convenção das Nações Unidas sobre o tema.

A Transparência Internacional comemorou a inclusão do tema corrupção no documento da Rio+20 que será submetido aos chefes de estado a partir desta quarta-feira. Em nota, a instituição define a corrupção como “a antítese do desenvolvimento sustentável”, por ser um obstáculo à educação gratuita e outros direitos fundamentais, como o o acesso a água potável e saneamento.

Segundo a Transparência, as mudanças climáticas tornam o impacto da corrupção sobre o desenvolvimento ainda mais temível, não só nos países pobres. “Em outras palavras, se o dinheiro que deveria nos defender contra tempestades, enchentes e outros desastres for desviado pela corrupção, estaremos em sérios problemas”, diz a nota.

Publicidade