Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Covid: restrições de mobilidade são eficazes por pouco tempo, diz estudo

Depois de poucos meses, a movimentação é retomada nas cidades, fazendo com que políticas públicas precisem ser repensadas

Por Sabrina Brito Atualizado em 26 abr 2021, 12h26 - Publicado em 26 abr 2021, 12h20

Uma nova pesquisa da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign revelou que tentativas de limitar a mobilidade para controlar o contágio de Covid-19 são eficazes apenas por um curto período de tempo. O estudo levou em conta a análise da movimentação de populações durante a pandemia nos Estados Unidos ao longo de sete meses.

O levantamento serve como alerta para a necessidade de se repensar a forma como se implementam essas políticas restritivas. O artigo foi publicado no periódico Journal of Transport Geography.

A abordagem considerou dois períodos distintos: a primeira onda da pandemia, de março a junho, e a segunda onda, de junho a setembro. Os dados foram coletados a partir do rastreamento geográfico de celulares de mais de 2,6 mil municípios norte-americanos.

De forma geral, os pesquisadores constataram que a mobilidade caiu abruptamente em março e abril, mas os meses seguintes viram uma recuperação veloz dos níveis de movimentação até junho. Entre junho e setembro, contudo, houve pouca mudança na mobilidade, embora a situação da saúde pública no país estivesse se deteriorando.

O estudo concluiu ainda que a movimentação em cidades democratas era mais lenta do que em regiões republicanas. Além disso, os locais com mais pessoas pobres não tiveram sua mobilidade significativamente reduzida ao longo da pandemia.

Continua após a publicidade
Publicidade