Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Quase 270 mil toneladas de plástico poluem os oceanos, diz estudo

Os autores estimam que existem pelo menos 5,25 trilhões de partículas de plástico nas águas do planeta, atingindo até mesmo as regiões mais remotas

Quase 270.000 toneladas de plástico estão flutuando nos oceanos, estimou um estudo do Instituto Five Gyres, que combate esse tipo de poluição, publicado nesta quarta-feira no periódico Plos One.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Plastic Pollution in the World’s Oceans: More than 5 Trillion Plastic Pieces Weighing over 250,000 Tons Afloat at Sea

Onde foi divulgada: periódico Plos One

Quem fez: Eriksen M, Lebreton LCM, Carson HS, Thiel M, Moore CJ e outros

Instituição: Instituto Five Gyres

Resultado: Existem pelo menos 5,25 trilhões de partículas de plástico, pensando cerca de 269.000 toneladas, nos oceanos

Poluição por microplásticos (fibras e fragmentos de plástico) é encontrada em concentrações variadas nos oceanos, mas dados da quantidade global desse material são escassos.

Para estimar o total de plástico flutuando nas águas e seu peso, cientistas de seis países contribuíram com dados de 24 expedições que ocorreram de 2007 a 2013, abrangendo os cinco giros subtropicais (grandes sistemas de correntes marinhas rotativas no oceano), a costa da Austrália, o Mar Mediterrâneo e o Golfo de Bengala.

Os dados incluem informações de microplásticos coletados com uso de redes e pedaços maiores contabilizados visualmente, que foram utilizados para calibrar os modelos de distribuição de plástico nos oceanos.

Leia também:

‘Sopa de plástico’ do Pacífico aumentou 100 vezes em 40 anos

Pesquisadores encontram grande quantidade de plástico no estômago de aves marinhas

Resultados – Com base nos dados e no modelo, os autores do estudo calculam que existem pelo menos 5,25 trilhões de partículas de plástico, pesando cerca de 269.000 toneladas, nos oceanos. Plásticos maiores são abundantes das regiões costeiras, enquanto os pedaços menores estão presentes nas regiões mais remotas, como os giros subpolares. Isso sugere que os giros atuam transformando os pedaços de plástico em partículas menores e ejetando-as pelas águas, fazendo com que atinjam as regiões mais distantes.

“Nossa descoberta mostra que o lixo presente nos giros substropicais não é o destino final do plástico. O microplástico interage com ecossistemas de todo o oceano”, afirma Marcus Eriksen, diretor de pesquisa do Instituto Five Gyres.

Saiba mais

GIRO OCEÂNICO

Trata-se de grandes sistemas de correntes marítimas rotativas e relacionadas ao movimento de rotação da Terra e dos ventos. Como são uma espécie de ‘redemoinho’, esses giros favorecem a concentração de material, como o plástico, em seu centro. Há cinco os giros oceânicos: Pacífico Norte, Pacífico Sul, Atlântico Norte, Atlântico Sul e Índico.

PLÁSTICO NOS OCEANOS

O lixo plástico nos oceanos é uma preocupação por causa do impacto ambiental. A ingestão de plástico por um peixe, por exemplo, pode causar danos no fígado do animal. As partículas também servem de abrigo para bactérias e algas. Elas são transportadas para outras regiões do oceano, onde podem prejudicar o ambiente local.