Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Principais culpados pela chuva ácida mudaram ao longo dos anos

Novo artigo aponta que usinas elétricas cederam o primeiro lugar aos agricultores

Por Sabrina Brito 10 ago 2020, 14h58

Até agora, considerava-se que os maiores emissores de enxofre, um componente da perigosa chuva ácida, eram as usinas elétricas movidas a carvão. Contudo, um estudo publicado hoje na revista científica Nature Geoscience aponta que o uso de fertilizantes e pesticidas em plantações ultrapassaram as usinas como maiores responsáveis pelo enxofre jogado na atmosfera.

Normalmente, essa substância é aplicada em terras para aumentar a produção e a saúde das colheitas. No entanto, ela pode causar danos ao solo e aos rios próximos à plantação, além de causarem chuvas ácidas.

Esse tipo de precipitação pode ser bastante prejudicial para o meio ambiente. Embora ocorra em baixas doses de forma natural, a chuva ácida foi potencializada pelas atividades humanas, que têm como produtos substâncias como enxofre, nitrogênio e carbono.

Algumas das consequências dessas chuvas são a acidificação do solo, a destruição de plantas e vegetais e a poluição de lagos e rios — ou seja, a frequência desses eventos pode causar graves impactos para o meio ambiente, a agricultura e a economia. Logo, estudar esse fenômeno é de grande importância para a sociedade.

De acordo com os pesquisadores responsáveis pelo novo estudo, o ideal seria diminuir o uso de compostos sulfurosos na agricultura. Entretanto, como essa mudança parece pouco provável, eles sugerem a necessidade de mais pesquisas acerca do tema e que possam ajudar a otimizar a aplicação de enxofre nas colheitas.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.