Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Primeiro ancestral dos pássaros pode perder seu posto

A partir de fóssil encontrado na China, pesquisadores defendem que 'Archaeopteryx' seria na verdade um pequeno dinossauro com penas

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 17h04 - Publicado em 28 jul 2011, 17h34

Durante 150 anos, o Archaeopteryx foi considerado o mais antigo ancestral das aves conhecido. Agora, um estudo mostra que, na realidade, o animal pode ter sido apenas um dinossauro com aspecto de pássaro. A conclusão parte da descoberta de um novo fóssil na China, com cerca de 155 milhões, cinco milhões a mais do que o exemplar do Archaeopteryx encontrado na Baviera em 1861 – com penas e formato de pássaro.

Há tempos, cientistas alimentam a ideia de que o Archaeopteryx poderia pertencer a outro lugar na árvore filogenética, que traça o grau de parentesco entre espécies. Sendo o mais antigo exemplar com penas e forma de pássaro, estava na base do ramo das aves primitivas, que culmina com os pássaros atuais. Contudo, muitas das características a ele atribuídas (penas, esporão e garras com três dedos, por exemplo) também podiam ser observadas em outros dinossauros terrestres.

O posto do Archaeopteryx como ancestral das aves começou a ser seriamente questionado quando o paleontólogo Xing Xu se interessou por um fóssil de dinossauro descoberto em escavações na província de Liaoning, na China. O exemplar foi reconhecido como uma nova espécie e batizado de Xiaotingia zhengi. Embora semelhante ao Archaeopteryx, sua morfologia o vincula de forma mais próxima a um ramo paralelo de dinossauros com penas, conhecido como Deinonicossauros.

Dessa forma, o Archaeopteryx foi parar na base de um ramo paralelo de Deinonicossauros. “Em outras palavras, o Archaeopteryx deixou de ser um pássaro”, resumiu o biólogo americano Lawrence Witmer, em um comentário anexo ao artigo publicado na revista Nature.

Embora o professor Xing se mantenha prudente e destaque que atualmente dispõe de poucos dados para apoiar sua nova “hipótese filogenética”, o resultado sustenta presunções surgidas nos últimos anos. “Talvez, chegue a hora de aceitar a ideia de que o Archaeopteryx era apenas um pequeno dinossauro carnívoro com penas como outros, que passeava durante o período Jurássico”, entre 145 milhões e 200 milhões de anos atrás, estimou Witmer.

O primeiro espécime de Archaeopteryx foi descoberto menos de dois anos depois de Charles Darwin publicar o livro A Origem das Espécies. Exibindo características atribuídas a répteis e aves, o dinossauro ilustrou por muito tempo a evolução, influenciando a maneira de trabalhar dos cientistas, destacou o biólogo. “Centenas de publicações se baseiam no Archaeopteryx para formular e avaliar hipóteses sobre as aves”, ressaltou Witmer.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês