Clique e assine com 88% de desconto

‘Pets’: como evitar os perigos de deixar seu animal sozinho

Em 'Pets: A Vida Secreta dos Bichos', cães e gatos vivem todo o dia sem os donos. Saiba como prevenir atitudes compulsivas e acidentes com animais sozinhos

Por Marina Rappa - Atualizado em 6 set 2016, 12h05 - Publicado em 4 set 2016, 09h50

O filme Pets: a Vida Secreta dos Bichos chegou aos cinemas brasileiros na última semana e atingiu o topo das bilheterias, arrecadando mais de 14 milhões de reais. apenas na semana de estreia. Não é para menos, já que o longa explora o que os animais de estimação fazem quando ficam sozinhos em casa – algo que todos os donos querem descobrir. Essa curiosidade em conhecer o que cães e gatos fazem quando estão desacompanhados pode ser fundamental para a saúde dos bichinhos: existem muitos perigos aos quais eles se expõem e saber como agem pode não apenas evitar graves acidentes com também prevenir transtornos de comportamento.

Leia também:
Saiba como distrair e acalmar animais que ficam sozinhos
Cães distinguem palavras e entonações como nós, comprova estudo

“Temos que pensar nos cães e gatos como crianças que ficam em casa. Os gatos são mais independentes, mas isso não significa que os cuidados são menores. É preciso limitar alguns acessos, passar produtos de limpeza e plantas para o alto e, se possível, distrair o animal com brinquedos e, inclusive, treiná-lo”, afirma o médico veterinário Mário Marcondes, diretor do Hospital Veterinário Sena Madureira, em São Paulo.

Solidão

Além dos perigos físicos, cães e gatos, em diferentes graus, sofrem com a solidão. Para os cachorros, animais extremamente sociáveis, longos períodos de isolamento podem trazer tristeza e stress. Alguns gatos também enfrentam problemas devido à ausência dos proprietários. Comportamentos como se coçar ou se lamber até que a pele fique ferida e miar ou latir o dia todo podem indicar que seu animal não está muito saudável: a síndrome da ansiedade da separação está se tornando um transtorno cada vez mais comum entre os animais domésticos.

“Um estudo da pesquisadora americana Debra Horwitz mostra que 20% a 40% dos atendimentos veterinários feitos por especialistas em comportamento animal, hoje em dia, são decorrentes desse transtorno. Mas, se os sintomas forem percebidos no início, existem maneiras bem simples para ajudar o bicho a superar o problema”, afirma a especialista em comportamento animal Carolina Rocha, da Pet Anjo, um site de serviços para animais de estimação, de São Paulo.

Publicidade

Confira abaixo alguns comportamentos que os animais têm ao ficar muito tempo sozinhos, quais os perigos a que se expõem e como evitá-los:

Publicidade