Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Paleontólogos descobrem predador marinho pré-histórico gigante

Fóssil ajuda a compreender como os ecossistemas marinhos podem se recuperar após grandes extinções

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h23 - Publicado em 9 jan 2013, 15h41

Um time de pesquisadores americanos e alemães descobriu um novo predador marinho pré-histórico. O fóssil, que mede 8,6 metros, foi descoberto no deserto de Nevada, no oeste dos Estados Unidos. Segundo os paleontólogos, o esqueleto pertenceu ao mais antigo predador marinho capaz de devorar animais do mesmo tamanho que o seu. Por causa disso, o animal foi chamado de Thalattoarchon saurophagis, que significa supremo comedor de lagartos dos mares. A pesquisa que descreve a nova espécie foi publicada nesta segunda-feira na revista PNAS.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Macropredatory ichthyosaur from the Middle Triassic and the origin of modern trophic networks

Onde foi divulgada: revista PNAS

Quem fez: Nadia B. Fröbischa, Jörg Fröbischa, P. Martin Sanderb, Lars Schmitzc

Instituição: Museu de História Natural da Universidade Humboldt, na Alemanha

Dados de amostragem: Um fóssil de 244 milhões de anos recuperado nos Estados Unidos

Resultado: Segundo os pesquisadores, o esqueleto pertenceu a um ictiossauro que se alimentava de outros animais marinhos de tamanho semelhante ao seu. O surgimento de um predador desse tipo apenas oito milhões de anos após uma grande extinção mostra a capacidade de recuperação dos ecossistemas.

O Thalattoarchon foi desenterrado de uma montanha isolada em 2010. A maior parte do esqueleto do animal estava preservada, incluindo crânio, nadadeiras e coluna vertebral completa. Segundo o estudo, o fóssil tem cerca de 244 milhões de anos e é um representante dos ictiossauros, um grupo de répteis marinhos que viveu no mesmo período que os dinossauros.

A partir da análise do fóssil, os pesquisadores concluíram que o animal possuía crânio e mandíbulas grandes, armadas com dentes afiados capazes de prender e cortar outros répteis marinhos. O formato e o tamanho dos dentes indica que ele era capaz de se alimentar de outros animais do mesmo tamanho que o seu. Por causa de seu porte físico e posição no topo da cadeia alimentar, os paleontólogos o compararam às orcas que habitam os oceanos modernos.

O que chamou a atenção dos pesquisadores foi o fato de um predador marinho tão grande ter surgido “apenas” oito milhões de anos após a grande extinção que aconteceu no final do Período Permiano, quando entre 80% e 96% de todas as espécies que viviam nos oceanos da Terra foram mortas.

Continua após a publicidade

fóssil

Leia também:

Pesquisadores descobrem primeiro mosassauro de água doce

Réptil marinho pré-histórico tinha gestação igual a de baleias e golfinhos

Segundo os paleontólogos, o surgimento de um predador como o Thalattoarchon documenta a rápida recuperação e evolução dos ecossistemas marinhos depois da extinção. “A cada dia aprendemos mais sobre a biodiversidade de nosso planeta. Descobertas como o Thalattoarchon ajudam a entender a dinâmica de nosso planeta e o impacto que os humanos de hoje têm em seu ambiente”, diz Jörg Fröbisch, pesquisador do Museu de História Natural da Universidade Humboldt, da Alemanha, e um dos autores do estudo, patrocinado pela National Geographic Society.

Saiba mais

ICTIOSSAUROS

Répteis marinhos gigantescos que habitaram os mares durante boa parte da Era Mesozoica, mesma época em que os dinossauros dominavam os continentes. Com um corpo que lembrava o dos golfinhos, eles podiam medir até 15 metros e se alimentavam de outros organismos marinhos, como peixes e lulas. Os ictiossauros surgiram há 250 milhões de anos, durante o período Triássico, e dominaram os mares durante milhões de anos. No período Cretáceo, eles foram superados como os maiores predadores marinhos por outras espécies, como os plesiossauros e mosassauros. Foram extintos há 90 milhões de anos, cerca de 25 milhões de anos antes dos dinossauros.

ERA MESOZOICA

Compreende os períodos Triássico, Jurássico e Cretáceo, entre 251 milhões de anos até 65,5 milhões de anos atrás. Foi marcada pelo aparecimento e extinção dos dinossauros.

PERÍODO PERMIANO

Período geológico compreendido entre 299 e 251 milhões de anos atrás. É caracterizado pela formação de vertebrados terrestres que deram origem aos mamíferos e répteis. Em seu final, houve a maior extinção em massa conhecida, eliminando 96% da vida marinha e 70% da terrestre.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)