Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nos dinossauros, penas e asas podiam ter função reprodutiva

Fósseis encontrados no Canadá ajudam a compreender origem das penas e asas entre os dinossauros. Elas teriam surgido para ajudar no acasalamento

Pesquisas recentes têm mostrado que os dinossauros eram muito diferentes daqueles imaginados no filme Jurassic Park. Em vez de possuir uma pele seca e escamosa como a dos lagartos, grande parte desses animais tinha a pele coberta de penas. Agora, um novo estudo publicado nesta sexta-feira na revista Science mostra que essas penas tinham um propósito mais “decorativo” do que se pensava. Ao analisar três fósseis recém-descobertos, cientistas concluíram que as penas e estruturas semelhantes a asas tinham função reprodutiva – elas ajudavam na hora do cortejo e do acasalamento.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Feathered Non-Avian Dinosaurs from North America Provide Insight into Wing Origins

Onde foi divulgada: revista Science

Quem fez: Darla K. Zelenitsky, François Therrien e Gregory M. Erickson

Instituição: Universidade de Calgary, no Canadá

Dados de amostragem: Três fósseis da espécie Ornithomimus edmontonicus encontrados no Canadá

Resultado: Todos os fósseis apresentaram indícios de penas pequenas. Mas somente um dos adultos tinha penas maiores, arranjadas em estruturas semelhantes a asas. Segundo os pesquisadores, elas se desenvolveriam mais tarde na vida do dinossauro, para ajudar na reprodução.

Até hoje, a maior parte dos fósseis de dinossauros que mantiveram indícios da existência de penas haviam sido encontrados na China. A pesquisa analisa os três primeiros fósseis do tipo descobertos no Canadá, em meio a rochas com 75 milhões de anos. “Essa descoberta é muito excitante, pois representa os primeiros dinossauros com penas no hemisfério ocidental”, diz Darla Zelenitsky, paleontologista da Universidade de Calgary, no Canadá, e autora do estudo.

Os esqueletos encontrados são de dois espécimes adultos e um jovem da espécie Ornithomimus edmontonicus, um tipo de dinossauro com corpo semelhante ao do avestruz. Até agora, não havia sido encontrado nenhum esqueleto da espécie que desse sinais da existência de penas.

A partir da análise dos fósseis, os pesquisadores concluíram que os três indivíduos eram cobertos por penas pequenas e macias. No entanto, somente um dos adultos possuía penas maiores, com eixos centrais duros, e estruturas semelhantes a asas primitivas em suas patas dianteiras. “Esses dinossauros eram cobertos por penas durante toda sua vida, mas somente os mais velhos desenvolviam penas maiores em seus braços, formando estruturas parecidas com asas”, diz Zelenitsky.

Fóssil

Fóssil (/)

A presença de asas em dinossauros grandes demais para voar sugere que essas estruturas deveriam ter outra função nessa espécie. Segundo os pesquisadores, o fato de as penas maiores só se desenvolverem em indivíduos adultos indica que elas só seriam usadas quando o dinossauro atingisse a maturidade sexual.

Portanto, sua função seria ajudar a atrair parceiros para o acasalamento – do mesmo modo como os pavões fazem até hoje. Somente mais tarde, com o decorrer da evolução, as penas teriam sido cooptadas para outros usos, como a regulação da temperatura corporal e o voo.

Leia também:

Descoberto fóssil do maior dinossauro com penas

Pesquisa reforça tese de que dinossauros tinham sangue quente e metabolismo acelerado

Ressuscitar dinossauros é coisa de cinema, diz estudo

Os dinossauros estão realmente extintos?

Embora o Tiranossauro, o Triceratops e todas as outras feras do período Mesozoico (de 251 a 65,5 milhões de anos atrás) estejam extintas, um grupo de dinossauros continua bem vivo atualmente. Os pássaros evoluíram a partir de um grupo de pequenos dinossauros terópodes cerca de 150 milhões de anos atrás. Tecnicamente falando, pássaros são dinossauros. As aves evoluíram e se diversificaram durante o Mesozoico. No final do período Cretáceo (período final do Mesozoico, entre 145 e 65,5 milhões de anos), quando todos os outros dinossauros (conhecidos como não-avianos) morreram, alguns pássaros sobreviveram à extinção e se tornaram os mais bem-sucedidos vertebrados voadores.

Fonte: Royal Ontario Museum