Clique e assine a partir de 9,90/mês

Nasa vai enviar nova missão a Marte em 2016

Objetivo será explorar o interior do planeta vermelho e descobrir por que ele não evoluiu como a Terra, apesar de também possuir uma composição rochosa

Por Da Redação - Atualizado em 6 Maio 2016, 16h28 - Publicado em 21 ago 2012, 00h58

Apenas duas semanas depois de enviar o jipe robô Curiosity a Marte, na mais audaciosa missão ao planeta vermelho desde os anos 1970, a Nasa anunciou nesta segunda-feira que pretende mandar mais uma nave a Marte em 2016. O objetivo do novo projeto da agência espacial americana é investigar o interior do planeta e entender por que ele evoluiu de maneira tão diferente em relação à Terra, mesmo ambos tendo composição rochosa.

A missão, denominada InSight (olhar para dentro, em inglês), será equipada com instrumentos para investigar se o núcleo de Marte é sólido ou líquido e por que a crosta não está dividida em placas tectônicas como nosso planeta. Ter um conhecimento mais detalhado do interior de Marte para poder compará-lo à Terra ajudará os cientistas a entender melhor como se formaram os planetas terrestres, como Marte e a Terra, e por que evoluíram de maneira tão diferente.

“A prospecção de Marte se tornou uma prioridade máxima para a Nasa e a seleção da InSight nos assegura que continuaremos desvelando os mistérios do planeta vermelho e sentaremos as bases para uma missão humana”, disse em comunicado o diretor da agência, Charles Bolden.

Bolden assinalou que o recente sucesso da aterrissagem em Marte do robô explorador Curiosity “estimulou o interesse do público na prospecção espacial e o anúncio de hoje deixa claro que haverá mais missões apaixonantes” ao planeta.

Continua após a publicidade

Países – A nova missão, prevista para partir em setembro de 2016, terá custo de 425 milhões de dólares e terá duração de dois anos. Ela será liderada por Bruce Banerdt, do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa, em Pasadena, na Califórnia.

O Centro Nacional de Estudos Espaciais da França (CNES) e o Centro Aeroespacial Alemão contribuirão na criação de alguns dos instrumentos que a Insight levará. A nave será construída segundo a tecnologia espacial utilizada na missão Phoenix, o veículo estacionário lançado em 2007 que apontou a existência, no passado, de água na superfície perto das regiões polares de Marte.

O JPL fornecerá um instrumento para determinar o eixo de rotação do planeta, um braço robótico e duas câmeras. Já CNES está à frente de um consórcio internacional que construirá um instrumento para medir as ondas sísmicas do interior do planeta e o Centro Aeroespacial Alemão construirá uma sonda subterrânea para medir o fluxo de calor emitido do interior.

Leia também:

Continua após a publicidade

Leia também: Conheça o JPL, a fantástica fábrica de robôs espaciais

(Com agência EFE)

Publicidade