Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Na China, animais marinhos vivos são vendidos plastificados

Tartarugas, peixes, sapos e salamandras são vendidos dentro de chaveiros e com um tempo de vida limitado pela frente

Por Sabrina Brito 24 nov 2021, 17h17

De acordo com relatos, pequenos vendedores chineses têm lucrado com a comercialização de chaveiros que contêm animais vivos, como tartarugas, salamandras, sapos e peixes. A prática, divulgada pela primeira vez em 2011 pela CNN, é considerada bastante polêmica por desrespeitar os direitos dos animais a uma vida de qualidade, condenando-os a uma prisão em que quase inevitavelmente morrerão.

Dentro do chaveiro, o animal fica imerso em um líquido que, segundo os comerciantes, possui nutrientes, água e oxigênio capazes de mantê-lo vivo por alguns dias, após os quais ele morrerá sufocado. Ainda que o comprador opte por libertar o novo pet, é bastante frequente que o cliente não esteja preparado para cuidar adequadamente do animal, o que também leva à sua morte. Além disso, é possível que o pet transmita alguma doença ao novo dono ou vice-versa.

Tartaruga
Em alguns chaveiros, o animal está imerso em um líquido colorido. imgur/Reprodução

Cada chaveiro custa aproximadamente U$ 1,50, e seus vendedores podem ser encontrados em locais como as estações de metrô de grandes cidades chinesas.

Diversas organizações pelo mundo já se manifestaram contrariamente à venda de chaveiros com animais vivos plastificados. Algumas instituições publicaram abaixo-assinados em que demandam o fim da prática, ainda sem resultados concretos.

Continua após a publicidade

Publicidade