Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Milhares de australianos admiram eclipse total do Sol

Fenômeno incomum, que ocorreu pela última vez em 2010, só dura 2 minutos

Milhares de pessoas assistiram, nesta quarta-feira, no norte da Austrália, ao espetáculo do eclipse total do Sol, ocultado pela Lua, fenômeno incomum que só dura dois minutos. Usando óculos especiais, os espectadores acompanharam, filmaram e fotografaram a passagem da Lua diante do Sol, reduzido a um disco negro aureolado.

Leia também:

Eclipse solar raro é visto no Hemisfério Norte

“Os insetos e os pássaros se calam!”, escreveu no Twitter Geoff Scott, um dos milhares de turistas “caçadores” de eclipses que viajaram para a Austrália para acompanhar o fenômeno, ocorrido pela última vez na região há 1.300 anos. Antes do eclipse, a temperatura caiu brevemente, o que desorientou os pássaros e os insetos no meio de uma noite repentina.

O Sol foi encoberto às 20H38 GMT (18h38 de Brasília), no norte do país, a 250 km a leste da cidade de Darwin. Segundo o governo de Queensland, entre 50.000 e 60.000 pessoas se reuniram na região para ver o espetáculo.

Leia também:

Próximo eclipse total da Lua só será visto no Brasil em 2014

Fred Espenak, astrofísico norte-americano, explicou à rádio australiana que um eclipse total do Sol é um fenômeno que ocorre todos os anos ou a cada dois, mas só é visível por menos de 0,5% da população do planeta. Mais de 1.200 cientistas japoneses foram ao nordeste tropical da Austrália para seguir o fenômeno.

O último eclipse solar total aconteceu no dia 11 de julho de 2010, também no Pacífico sul, e o próximo é esperado para 20 de março de 2015, na Islândia, ilhas Feroe e no arquipélago norueguês de Svalbard.