Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mausoléu de 2.100 anos é descoberto na China

Embora haja sinais de que o local já tenha sido saqueado, foram encontrados mais de 10 000 artefatos, incluindo peças de ouro, prata, bronze e jade

Um mausoléu de 2.100 anos, construído para um rei chamado Liu Fei, morto em 128 A.C., foi descoberto por pesquisadores na província chinesa de Jiangsu. Embora haja sinais de que o local já tenha sido saqueado, foram encontrados mais de 10 000 artefatos, incluindo peças de ouro, prata, bronze e jade.

Leia também:

Arqueólogos descobrem templo budista no Afeganistão

Crianças encontram múmia de 7.000 anos durante passeio escolar no Chile

O mausoléu contém três tumbas principais e outras onze adjacentes. A maior câmara sepulcral tem 35 metros de comprimento por 25 de largura, dividida em compartimentos menores, contendo variados tipos de armas, carruagens e instrumentos musicais. Dentro da câmara sepulcral foi encontrada uma espécie de cozinha, com caldeirões, jarras e taças de vinho, entre outros itens. Ossos de animais e sementes de frutas também foram achados. O caixão em si estava danificado e o corpo do rei não foi encontrado no local.

Na segunda tumba, adjacente à do rei, os arqueólogos localizaram cerca de 200 objetos de bronze, ouro e prata e jade. Um caixão de jade foi descoberto intacto nesta câmara e descrito pelos autores como “o único não danificado encontrado na história da arqueologia chinesa”. Em outras áreas do mausoléu havia cinco carruagens de tamanho real e mais 50 réplicas menores. O estudo com os detalhes da escavação foi publicado originalmente em chinês no periódico Kaogu.

Tesouro – Os arqueólogos encontraram também um tesouro com mais de 100 000 moedas da época, criadas pelo primeiro imperador da China após a unificação do país, em 221 A.C.